Flamengo de cara nova para sair da beira do caos

Com três zagueiros, Ney Franco tenta se livrar da zona da degola

Por O Dia

Rio - Um mês de trabalho durante o período de paralisação para a Copa será posto à prova a partir desta quarta-feira quando o Flamengo volta a jogar pelo Brasileiro, contra o Atlético-PR, em Macaé. Com tempo para treinar, Ney Franco mudou o esquema tático e ontem praticamente confirmou o time que tem como missão sair o mais rápido possível da zona de rebaixamento.

“Estamos prontos para voltar. Ney Franco está deixando todo mundo em forma para que sejamos mais do que onze jogadores, e sim um grupo forte”, disse Alecsandro.

Ney Franco conversa com os jogadores no Ninho do UrubuDivulgação

Com os zagueiros Wallace, Chicão e Samir — além de Recife jogando na cabeça de área —, Ney Franco tenta reforçar a defesa (a segunda mais vazada, com 13 gols) e liberar os laterais Léo Moura e André Santos, que têm como ponto forte o ataque. Caberá a Elano e Everton criar as jogadas para Paulinho e Alecsandro.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Foi assim que o técnico treinou a maior parte dos dias, mas a principal mudança será no gol. Depois de perder espaço nos últimos jogos antes da paralisação, Felipe voltou a treinar ontem entre os titulares e deve jogar. Hoje, o treinador fará um treino fechado no Moacyrzão, palco do duelo, mas não deve mudar a escalação.

No coletivo, Ney Franco falou e orientou muito, com os jogadores participando ativamente, numa tentativa de melhorar e apagar a péssima campanha até agora.

“Acho que para um esquema dar certo o jogador precisa querer. O Ney passou a usar três zagueiros, com algumas variações, e, para funcionar, todos têm que entender o que o treinador pede e querer executar. Mesmo quem não tem característica de marcador, como é o meu caso, tem que marcar. Perdeu a bola, é preciso correr atrás”, afirmou Alecsandro.

ALEMANHA, EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO

Principal garoto-propaganda do Flamengo em 2014, Podolski virou destaque no site oficial do clube, que comemorou o fato de o atacante alemão ser o primeiro jogador a vestir a camisa rubro-negra segurando a taça da Copa do Mundo.

A relação entre Flamengo e Alemanha, graças à camisa rubro-negra, foi comemorada não apenas pelo clube, mas também pelos jogadores, que esperam que a experiência alemã sirva de exemplo para apoiar o time nesse reinício de Brasileiro com a tentativa de sair da crise instaurada antes do Mundial.

“Fiquei feliz de ver tantos flamenguistas na Copa por causa da Alemanha, usando um uniforme que é parecido com o nosso. Coisas positivas são sempre válidas. Espero que nos nossos jogos essa vibração possa vir para a gente também. Precisamos ter o mesmo espírito de querer fazer da Alemanha”, afirmou Alecsandro.