Sem Eduardo da Silva, Flamengo tem 'reforços' para o ataque contra o Vitória

Alecgol e Paulinho jogam, mas Eduardo da Silva, arma secreta, está fora

Por O Dia

Rio - Se por um lado Vanderlei Luxemburgo volta a ter à sua disposição o ataque titular, por outro lado, perde sua arma secreta para o jogo de amanhã, contra o Vitória, no Barradão. Alecsandro e Paulinho treinaram, sem problemas, no coletivo no Ninho do Urubu. O segundo já tinha voltado ao time no segundo tempo da derrota para o Coritiba, pela Copa do Brasil. Mas Eduardo da Silva não viajou para Salvador. Equilibrado entre boas e más notícias, o treinador vê o copo meio cheio.

Luxemburgo tem mais opções para o ataqueMárcio Mercante

“Elton chegou, vai viajar conosco, o Gabriel se recuperou... Isso é bom, começo a ter mais opções. Gosto de ter todos à disposição”, disse Vanderlei, que prefere minimizar o desfalque de Eduardo Silva, destaque do time nas últimas rodadas do Brasileiro: “Ele sofreu uma lesão, está com dor, vai ficar para se recuperar. Vamos ver se estará pronto na quarta (data do jogo de volta contra o Coritiba).”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Se Eduardo da Silva é o artilheiro do time desde a chegada de Vanderlei — marcou três vezes —, foi com um gol de Alecsandro, sobre o Botafogo, que o time começou a arrancada para deixar a zona de rebaixamento. A quinta vitória consecutiva na competição pode levar o time à primeira metade da tabela. O treinador, porém, é cauteloso em seu discurso.

“O Flamengo tem um campeonato próprio, e o Vitória está neste contexto de fuga do rebaixamento. Temos de jogar uma decisão, marcar muito forte. Nosso pensamento não mudou, temos de carregar pedra, um saco de cimento, botar nas costas e lutar. O Flamengo não saiu da zona da confusão, temos de trabalhar muito ainda”, disse.

Novo vice de futebol garante que Fla não cai

A diretoria do Flamengo anunciou mudanças no “ministério rubro-negro.” Alexandre Wrobel, antes de patrimônio, foi apresentado ontem como novo vice de futebol. Ele garantiu que o time não vai ser rebaixado no Brasileiro.

Wrobel ressaltou que não pode trazer reforços de peso já que a janela está fechada e afirmou que seu maior desafio será planejar 2015 e reestruturar as divisões de base. Para o dirigente, é possível trazer reforços para o ano que vem sem abandonar a política de austeridade. No final, ele fez um apelo à Nação: “Não conheço outro clube que dependa tanto da torcida. Quero pedir para que ela continue junto. Vamos priorizar os jogos no Maracanã e os preços promocionais.”