Por fabio.klotz

Rio - Ao caminhar com dificuldade, Everton deixa a torcida apreensiva para o próximo passo no Brasileiro. Nesta quinta-feira, o camisa 22 suscitou dúvida sobre a sua participação no jogo de domingo, contra o Bahia, na Fonte Nova, enquanto mancava pelo Aeroporto Santos Dumont. Sem ele, o Flamengo jogou sete jogos na competição: foram seis tropeços - cinco derrotas (Corinthians, Fluminense, Cruzeiro, Internacional e Grêmio) e um empate (Figueirense) - e apenas uma vitória (Palmeiras).

Everton tem se destacado no meio de campo do FlamengoCarlos Moraes

“Ainda está incomodando, está um pouco inchado, dolorido para andar, vamos esperar para conversar com o doutor e ver o que vai acontecer. A minha vontade é de jogar, mas tenho que estar cem por cento”, disse o jogador, para logo depois abrir a possibilidade de atuar no sacrifício:

“Quero jogar. Estou num momento bom, as coisas estão acontecendo bem, mas não posso entrar sentindo dor e com o tornozelo inchado. Vou tratar, fazer de tudo para estar bem. Tem três dias para o jogo. Não preciso estar cem por cento, mas com menos dor. Acredito que até o fim de semana estarei melhor.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Everton deixou o campo, quarta-feira, após receber uma pancada no tornozelo direito, em um carrinho de Michel Bastos, do São Paulo, que acabou expulso. Apesar da dor e da preocupação, o jogador afirma não ter visto maldade no lance: “Ele errou o bote. Foi na bola, lance rápido, campo molhado...”

Você pode gostar