Flamengo entra no embalo de dupla afinada

Eduardo da Silva e João Paulo usam jogadas e gols para fazer sucesso com camisa rubro-negra e tirar o time do sufoco no Brasileirão

Por O Dia

Rio - Eduardo da Silva e João Paulo. O nomes não combinam em sonoridade para a formação de uma dupla sertaneja, ou quem sabe de funqueiros, mas os dois têm feito sucesso juntos com a camisa do Flamengo. A ponto de abafar as vaias ao lateral-esquerdo, trilha sonora que teimava em perseguir o jogador a cada toque na bola. O gol de anteontem, marcado pelo atacante com cruzamento do camisa 16 foi o quarto fruto da dobradinha no Campeonato Brasileiro.

O gol da vitória sobre o Figueirense foi de Nixon, mas a sintonia da parceria permitiu ao Flamengo abrir o placar em Santa Catarina. Ao todo, o Rubro-Negro conquistou nove pontos com a contribuição da dupla.

Eduardo da Silva marcou contra o FigueirenseFolhaPress

Eduardo da Silva tem sete gols com a camisa do Flamengo. Nas vitórias sobre Figueirense, Atlético-MG e Sport e na derrota para o Bahia, ele balançou a rede com assistência de João Paulo. Em 16 partidas, o atacante tem média de 0,43 gol por partida.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Enquanto Eduardo da Silva dribla as limitações físicas de quem sofreu com lesões e não fez pré-temporada para conquistar a torcida do Flamengo, João Paulo vive sob constante avaliação. Único lateral-esquerdo do elenco desde a saída de André Santos, ganhou a chance de se firmar na posição, mas também passou a correr o risco de se queimar de vez.

A carência na posição fez o Flamengo contratar Anderson Pico, jogador com histórico de indisciplina, que estava parado e chegou totalmente fora de forma. Com o trabalho de segunda voz na dupla de sucesso, João Paulo ganha fôlego. Mas suas oscilações — contra o Santos levou drible desconcertante de Geuvânio e voltou a ser vaiado no Maracanã — ainda deixam a torcida desconfiada.

Cáceres tem boas chances de voltar no domingo

Cácerese Wallace devem voltar ao time titular no domingo, contra o Cruzeiro, no Maracanã. Os dois ficaram fora na vitória sobre o Figueirense por 2 a 1 por causa de dores musculares na coxa, mas os médicos do Flamengo estão otimistas sobre a recuperação de ambos. A expectativa é de que a dupla trabalhe sem problemas com restante do grupo, hoje, no Ninho do Urubu.

O paraguaio é quem tem mais chance de jogar. Ele foi cortado da seleção paraguaia, mas, no exame de imagem a que ele foi submetido, não foi diagnosticada lesão no local. No sábado, o time treinará na Gávea, e a atividade será aberta à torcida. A ideia é manter o apoio da galera em um momento decisivo.