Flamengo faz jogo em ritmo de festa em São Luís

Sem ambição, Rubro-Negro pega o Criciúma cercado pelo carinho da torcida

Por O Dia

Maranhão - Em vez de sofrer com um encerramento de Campeonato Brasileiro completamente sem graça, o Flamengo curte uma espécie de universo paralelo. Livre do risco de rebaixamento e sem ter com o que sonhar neste ano, o time foi recepcionado nese sábado, em São Luís, por centenas de torcedores que lotaram o Aeroporto Marechal Hugo da Cunha. No jogo de hoje, às 17h, contra o Criciúma, no Castelão, os holofotes estarão em Everton, muito elogiado por Luxemburgo e que hoje completa 100 jogos pelo clube.

“O 4-2-3-1 de hoje nada mais é do que um 4-3-3 disfarçado. Isso encaixou no futebol brasileiro e o Everton tem essa característica. Só tem que aprender a gostar mais de gol. Ele ajudou muito o time a sair da confusão”, disse o técnico.

Flamengo enfrenta o Criciúma em São LuísMárcio Mercante

Pela festa no aeroporto, poderia se supor que o melhor time do país havia chegado ao Maranhão. Nem parecia que o Flamengo acabara de ser goleado pelo Atlético-MG por 4 a 0. Provavelmente a eliminação diante do mesmo Galo, após outro sacode, por 4 a 1, já foi esquecida por aqueles que poucas vezes puderam ver o time de coração de tão perto.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Além de engordar a receita e aquecer as vendas de lojas oficiais e de títulos do sócio-torcedor, o Flamengo encontrou um sentido para a reta final da competição. Numa espécie de turnê nacional em curta temporada, o time sentirá o calor da Nação.

Terminar o campeonato na melhor colocação possível é o que importa de verdade para Vanderlei. Depois de ter experimentado o sabor do último lugar, o Fla pode acabar o Brasileiro em oitavo.

Lobby por Paulo Victor

Quem tem motivos para levar a reta final do Brasileiro a sério é Paulo Victor. Pela primeira vez o goleiro encerra uma temporada como titular. Se depender de Vanderlei Luxemburgo, ele pode sonhar alto.

“Assim, ele vai despertar os olhos do Dunga. É um goleiro de defesas importantes. Não faz defesa difícil quando o jogo está 4 a 0. É no 0 a 0 em que ele tira a bola, segura o resultado de 1 a 0”, disse o treinador.