Fla se apresenta e sonha com camisa 10

Rubro-Negro busca mais dois reforços para o time titular

Por O Dia

Rio - Em busca de pelo menos mais dois reforços para "chegar como titular", o Flamengo se apresenta nesta segunda-feira para iniciar a pré-temporada sem mudanças drásticas no elenco de 2014. Da equipe titular, João Paulo foi o único a sair. Em compensação, o clube fez cinco contratações, além de renovar contrato com Léo Moura, Marcelo, Márcio Araújo e Nixon.

Marcelo Cirino mostra confiança em brilhar com a camisa do FlamengoMárcio Mercante

Ao sonhar com Conca e ter Jadson como plano B, a diretoria do Flamengo segue a busca por um camisa 10, prioridade no momento, mas também tenta peças para outros setores. As negociações já estão em andamento e a expectativa é poder anunciar mais dois reforços para fechar o elenco para o início de Carioca, em fevereiro.

“Continuamos trabalhando com os pés no chão. Esse ano ainda vai ser difícil, mas será melhor que o de 2014. E em 2016 vai ser bem melhor”, prometeu o presidente Eduardo Bandeira de Mello.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Dos nomes garantidos para se juntar ao elenco, apenas Marcelo Cirino foi anunciado para 2015. Mas Pará, Arthur Maia e Thallyson são esperados no Ninho do Urubu, nesta segunda-feira, às 9h. Outro certo, Bressan chega ao Rio para assinar contrato e já deve viajar com os novos companheiros no fim da tarde para Atibaia (SP), onde o Flamengo treinará até o dia 17.

As cinco novidades chegam para suprir as saídas de Léo, emprestado ao Inter, Amaral, que foi para o Vitória, e Chicão, que não renovou, assim como João Paulo.

Grêmio vai pagar o salário de Pará

Além de conseguir a liberação de Pará, o Flamengo não precisará pagar seu salário, que ficará a cargo do Grêmio. O acordo que alivia o caixa rubro-negro foi possível graças a uma uma dívida pendente desde 2000 do clube gaúcho, referente à transferência de Rodrigo Mendes.

O Flamengo conseguiu na Justiça que o Grêmio pagasse R$ 13 milhões pela dívida (o valor devido na época era de R$ 3 milhões). Sem o dinheiro, o clube gaúcho se viu obrigado a liberar um de seus titulares e se comprometeu a pagar os salários para quitar o débito com os rubro-negros.

“Você cede o atleta e paga o salário. Assim, cada centavo será amortizado da dívida. Se não fosse por isso não teríamos liberado”, explicou o diretor do Grêmio Rui Costa à Rádio Guaíba.