Em busca do peso ideal, Anderson Pico encara luta contra a balança de frente

Lateral deixa o tempo de 'fio desencapado' para trás e destaca apoio do Fla: 'Nunca tive um acompanhamento tão de perto'

Por O Dia

São Paulo - Se a confiança de Vanderlei Luxemburgo em seu potencial é a principal aliada de Anderson Pico, a propensão a ganhar peso sempre será a maior inimiga. Mas, diferentemente dos tempos em que era um fio desencapado, como disse o treinador no ano passado, o lateral hoje encara a briga de frente. Trabalhou nas férias e agora corre em busca do peso ideal. Precisa perder ainda cerca de quatro quilos.

Anderson Pico destaca o apoio do Flamengo e projeta disputa sadia pela vaga de titularUanderson Fernandes

"Estou muito feliz de poder começar uma pré-temporada num clube grande. Há quase cinco anos que não fazia uma, sempre era apresentado depois. Estou buscando o meu melhor a cada dia", disse.

Anderson Pico chegou ao Flamengo no início de setembro do ano passado. Antes de começar a treinar, Vanderlei revelou à imprensa o pedido de ajuda feito pelo jogador. O treinador lhe estendeu a mão, mas disse, em entrevista coletiva, que se tratava de uma experiência, para ver se o tal "fio desencapado" ainda dava choque. Um mês depois, 13 quilos mais magro, o lateral já brigava por posição com João Paulo.

"Foram cinco meses de experiência. O Vanderlei disse que dependeria de como eu me sairia. Renovei por dois anos, estou muito feliz. Isso me dá tranquilidade para começar o ano bem e brigar pelas coisas que o clube tem para disputar."

Thallyson foi contratado para o lugar de João Paulo como uma aposta. Ainda desconhecido da torcida, o lateral que veio do ASA de Arapiraca chegou sob desconfiança. Ele, no entanto, chamou a atenção nos treinos em Atibaia e, por enquanto, é o titular da posição. Nada que abale Anderson Pico. Ele admite que ainda precisa buscar a melhor forma e garante que a disputa pela posição será acirrada.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

"Ele (Thallyson) está melhor fisicamente, e eu, no processo de alcançar o peso que a direção e a comissão técnica decidiram. No ano passado, a disputa com o João Paulo foi sadia, e este ano não será diferente. Cada vez mais ele estará trabalhando, e eu também. Vou buscar o meu espaço", analisou o jogador, que disse jamais ter recebido tanto apoio num clube.

"Isso é gratificante. Nunca tive um acompanhamento tão de perto, com pessoas de qualidade. O Léo Acro (nutricionista), o professor (Antonio) Mello (preparador físico), o (Claudio) Pavanelli... Eles me incentivam todos os dias para fazer algo a mais. Que eu possa mostrar para eles depois em campo."