Flamengo em evolução na pré-temporada

Luxa diz que confia no time, apesar dele ainda não ter rendido o esperado

Por O Dia

Rio - Um time com potencial para evoluir, mas ainda longe de produzir o esperado. Assim o técnico Vanderlei Luxemburgo avaliou o Flamengo, ontem, último dia de preparação em Atibaia. Neste sábado, a delegação rubro-negra embarca para Brasília, onde enfrentará, amanhã, o Shakhtar Donetsk, às 17h, no Mané Garrincha.

“No treino, ainda não teve o rendimento que eu queria, mas muita coisa a gente vê que vai evoluir. Nós estamos trabalhando em cima de montagem de uma equipe voltada para o que se exige no futebol de hoje: velocidade, equilíbrio entre os setores e intensidade constante”, observou.

Vanderlei Luxemburgo espere crescimento do FlamengoUanderson Fernandes / Agência O Dia

Tanto no coletivo de quinta-feira quanto no jogo-treino de quarta, contra o RB Brasil, o ataque formado por Gabriel, Marcelo Cirino e Everton passou em branco. Vanderlei tenta adaptar o jogador que veio do Atlético-PR a uma nova função. No Furacão, ele atuava pelos lados do campo. O treinador espera repetir o sucesso que teve quando trocou Rincón e Edílson de posição, nos anos 1990, no Palmeiras.

“A função do técnico é ver o potencial do jogador e fazê-lo melhorar. Acho um desperdício o Marcelo longe da zona de perigo. Quero, com o potencial dele de velocidade e mudança de direção, aproximá-lo do gol. E trabalhar mais a finalização”, explicou o técnico, para quem exercer várias funções é essencial no futebol moderno.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Sonho caro demais

Vanderlei afirma que não existe no mercado um camisa 10 clássico, que ele chama de meia-esquerda. Mas o treinador ainda quer ter um craque no time. A seu pedido, a diretoria rubro-negra fez contato com Robinho, nome dos sonhos do técnico. Mas o atacante pediu R$ 800 mil, salário líquido. Os dirigentes rubro-negros desistiram na hora.

Uma parceria que pudesse tornar viável o projeto é vista como improvável. Na diretoria, predomina a opinião de que ninguém vai querer bancar isso para o clube ter o Rei das Pedaladas, que está no Santos, emprestado pelo Milan, da Itália.

Jadson acertou as bases do contrato com o Flamengo, mas o Corinthians ainda não o liberou. O clube carioca espera o retorno dos paulistas dos Estados Unidos. Cícero, do Fluminense, foi sondado.

Repudio à opção da Ferj de baratear os ingressos

A diretoria do Flamengo não recebeu bem a resolução do arbitral da Ferj, que determinou o valor fixo de meia-entrada nos jogos do Carioca. Ela entende que isso enfraquece as finanças.

“Temos certeza de que ninguém obrigará o Flamengo a trabalhar com preços inferiores aos custos de operação dos jogos em que detém o mando de campo. Admitir isso é fomentar a violação à livre iniciativa (um princípio constitucional)”, informou o clube por assessoria.

O Fla teme prejuízos financeiros com o plano sócio-torcedor, já que em algumas modalidades é praticada a meia-entrada. Vender ingressos pela metade da metade (25% do valor original) é algo que não está previsto. “Esta é uma possibilidade fora da realidade. O Fla entende que a decisão do arbitral confronta uma tendência do futebol mundial e brasileiro de fortalecer os clubes através de seus programas de Sócio-Torcedor”, diz trecho da nota.