Flamengo reprova decisão da Ferj de baratear os ingressos do Carioca

Arbitral definiu uma tabela de preços populares para o torneio; Fla é contra medida: 'Ninguém obrigará o clube a 'trabalhar' com preços inferiores aos custos de operação dos jogos'

Por O Dia

Rio - O Flamengo freia o 'movimento' de baixar o preço dos ingressos do Campeonato Carioca. Preocupado em pagar os custos que envolvem os jogos e de olho nos prejuízos ao programa de sócio-torcedor, o time da Gávea não aprovou os termos de cobrar valores entre R$ 5 e R$ 50, estabelecidos na reunião arbitral, ocorrida na quinta-feira, na sede da Ferj.

"Temos a certeza de que ninguém obrigará o Flamengo a 'trabalhar' com preços inferiores aos custos de operação dos jogos em que o clube detém o mando de campo. Admitir isso é fomentar a violação à livre iniciativa (um princípio constitucional). Vale lembrar que o tabelamento de preços só é admitido excepcionalmente e, ainda assim, no caso de preservação de um outro valor constitucional. O que não entendemos ser o caso. Esse tipo de iniciativa está cada vez mais colocando os clubes cariocas em situação de penúria frente aos seus adversários no Brasil. Entendemos que o padrão de gestão e de responsabilidade que estamos implementando no Flamengo seja extremamente benéfico ao futebol carioca e gostaríamos de compartilhar nossa experiência com os demais clubes. Mas decisões como as do arbitral, infelizmente, tornam isso muito difícil. Não é por acaso que os clubes cariocas são os mais debilitados financeiramente do futebol brasileiro. E ainda: o Flamengo é contra atitudes que usem o futebol carioca para alavancar carreiras políticas e pessoais, onerando os clubes. Já sabemos para onde tal caminho nos levará", argumentou o Flamengo, por meio da sua assessoria de imprensa.

Um dos argumentos do Flamengo é para não prejudicar o programa de sócio-torcedor, que dá direito a preços promocionais.

"O Flamengo entende que a decisão do arbitral confronta uma tendência do futebol mundial e brasileiro que é o fortalecimento dos clubes através de seus programas de Sócio-Torcedor. Esta medida – que ressalta uma visão míope da realidade - torna o futebol carioca menos competitivo frente aos outros estados. Promovendo o Programa Sócio-Torcedor, estamos trabalhando com a possibilidade de estádios mais cheios e, consequentemente, proporcionando mais renda aos nossos adversários uma vez que, no Campeonato Carioca, está prevista a divisão da renda das partidas entre os clubes. E os benefícios, que vão muito além que vantagens na compra de ingressos, não são a principal razão para que os torcedores se associem ao Programa Sócio-Torcedor do Flamengo. O torcedor rubro-negro já entendeu que contribuir para o Programa Sócio-Torcedor torna o seu clube mais forte. Por último, vale lembrar que a frequência de Sócios-Torcedores em jogos do Flamengo no Campeonato Carioca é baixa. A participação dos Sócios-Torcedores cresce, e muito, na Copa do Brasil, Taça Libertadores da América e Campeonato Brasileiro", disse o clube.

Apenas Flamengo e Fluminense se manifestaram contra a decisão. O clube da Gávea ainda vai estudar que medidas irá tomar sobre o preço dos ingressos estabelecidos pela Ferj.

Flamengo está preocupado com prejuízos por conta do baixo custo dos ingressosBruno de Lima

Os preços ficaram desta forma:

Maracanã:

- Jogos entre clubes grandes e pequenos: R$ 40 (inteira) e 20 (meia) cadeiras atrás dos gols (setores Norte e Sul); R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) cadeiras centrais – Leste e Oeste (exceto Maracanã Mais).

- Clássicos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) setores Norte e Sul; R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia) setores Leste e Oeste (exceto Maracanã Mais).

- Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) setores Norte e Sul; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores Leste e Oeste.

Engenhão:

- Jogos entre grandes e pequenos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores atrás dos gols (Norte e Sul); R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia) setores centrais (Leste e Oeste).

- Clássicos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) setores Norte e Sul; R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) setores Leste e Oeste.

- Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) setores Norte e Sul; R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) setores Leste e Oeste.

São Januário:

Arquibancadas serão R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia); Cadeira social R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

Raulino de Oliveira e Édson Passos:

- Jogos de pequenos contra pequenos: arquibancadas R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia); Cadeira especial R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

- Jogos de pequenos contra grandes: arquibancadas R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia); Cadeiras especiais R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

- Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Cadeiras especiais R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

Moça Bonita, Moacyrzão e Eduardo Guinle:

- Jogos de pequenos contra pequenos: arquibancadas R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

- Jogos de pequenos contra os grandes: arquibancadas R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

- Jogos das 22h: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Demais Estádios:

Arquibancada R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Ficou determinado que nos jogos entre clubes pequenos, as agremiações mandantes podem optar por cobrarem ainda ingressos mais baratos para atraírem o torcedor: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).