Luxemburgo vê time com potencial de evolução, mas ainda abaixo do que espera

Treinador quer Marcelo Cirino mais próximo do gol e destaca versatilidade do elenco montado para esta temporada

Por O Dia

São Paulo - Um time com potencial de evoluir, mas ainda longe de produzir o esperado. Assim o técnico Vanderlei Luxemburgo avaliou o Flamengo nesta sexta-feira, último dia de preparação em Atibaia. Sábado, a delegação rubro-negra embarca para Brasília, onde enfrenta, domingo, o Shakhtar Donetsk, às 17h, no Mané Garrincha.

LEIA MAIS: Flamengo reprova decisão da Ferj de baratear os ingressos do Carioca

Vanderlei Luxemburgo, afirma: 'O futebol hoje é de intensidade constante'Uanderson Fernandes

"A nível de treino, ainda não teve o rendimento que eu queria, mas muita coisa a gente vê que vai evoluir. Nós estamos trabalhando em cima de montagem de uma equipe voltada para o que se exige no futebol de hoje: velocidade e equilíbrio entre os setores. O futebol hoje é de intensidade constante", afirmou o treinador.

Tanto no jogo-treino contra o R&B Brasil, quarta-feira, quanto no coletivo do dia seguinte, o ataque titular, formado por Gabriel, Marcelo Cirino e Everton, passou em branco. Vanderlei tenta adaptar o atacante que veio do Atlético-PR a uma nova função. No Furacão, ele atuava pelos lados do campo. O treinador espera repetir o sucesso que teve quando trocou Rincón e Edílson de posição, nos anos 1990.

"A função do técnico é ver o potencial do jogador e fazê-lo melhorar. Acho um desperdício o Marcelo longe da zona de perigo. Quero, com o potencial dele de velocidade e mudança de direção, aproximá-lo do gol. E trabalhar mais a finalização", explicou o técnico, para quem exercer várias funções é essencial no futebol moderno:

"A nossa maior preocupação na montagem do elenco foi a versatilidade. Um elenco com 28 jogadores que jogam em mais de uma posição vira de 35. O Eduardo dá muita possibilidade de mudança; o Paulinho joga na direita e na esquerda; o Everton pode atuar na lateral, na meia e avançado; o Arthur Maia joga por dentro e pelo lado esquerdo... Dá para variar, para não ficar capenga como quando o Gabriel e o Alecsandro se machucaram na Copa do Brasil."

Os amistosos contra Shakhtar Donetsk, em Brasília, e Vasco e São Paulo, em Manaus, servirão de teste. A tendência é que domingo, diante dos ucranianos, Vanderlei troque toda a equipe no intervalo, para evitar lesões. Depois, diante dos brasileiros, dias 21 e 25, deve estender a participação dos titulares. Em nenhum momento o elenco deixará de trabalhar forte a parte física, até as primeiras rodadas do Estadual, a exemplo do que aconteceu nos 11 dias de treino em Atibaia.

"A nossa preocupação é dar base física. Fizemos muitas reuniões para trabalharmos voltados para a exigência do futebol de hoje: resistência e velocidade com potência. O jogador tem que estar preparado para correr 70 metros em velocidade", concluiu.