Fla encara o São Paulo e mira título para mostrar que a confusão ficou para trás

Começar a temporada com um título seria emblemático depois de um 2014 de sufoco

Por O Dia

Manaus - O Flamengo tem a chance, contra o São Paulo, às 17h, na Arena da Amazônia, de mostrar, neste domingo, que a confusão faz parte do passado. Embora seja um torneio amistoso, começar o ano com um título seria emblemático depois de um 2014 de sufoco. Símbolo deste novo momento, Marcelo Cirino, maior investimento do clube até aqui para a temporada, busca se adaptar a uma nova função enquanto sonha com o primeiro gol vestindo o manto sagrado.

Marcelo Cirino confiante em ser o homem-gol do Flamengo Divulgação

“A ansiedade é normal de fazer um gol. Eu quero fazer o maior número de gols possível pelo Flamengo. Mas essa ansiedade é normal, sei que o gol sairá na hora certa”, afirma o jogador: “Atacante vive de gols. E comigo não é diferente. Eu quero estar marcando sempre.”

No Flamengo, Marcelo Cirino tenta se adaptar a uma nova função. Antes, quando defendia o Atlético-PR, explorava a sua velocidade pelos lados do campo. Vanderlei Luxemburgo, no entanto, quer vê-lo mais perto do gol, embora a finalização não seja a sua especialidade.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

“Hoje o jogador tem que estar preparado para fazer várias funções. Estou me aprimorando, a cobrança e a responsabilidade são maiores”, diz o atacante, que tenta evoluir com o time.

“Estamos melhorando a cada jogo. Tenho certeza de que vamos nos entrosar. Contra o Vasco já melhoramos, recebi mais bolas. A tendência é evoluir. Estamos trabalhando para aprimorar cada parte pedida pelo Luxemburgo. E o Flamengo, em cada torneio que entra, quer ser o campeão”, completou.

Marcelo Cirino elogia preparação rubro-negra

Jogador que depende da explosão e da força física, Marcelo Cirino aprova o modelo adotado pelo Flamengo na pré-temporada. Primeiro, a comissão técnica deu ênfase à parte física em Atibaia. Depois, partiu para uma sequência de três amistosos. A preparação vai se estender Campeonato Carioca adentro.

“No Atlético-PR, nos últimos dois anos, aconteceu isso. Pré-temporada mais longa. Agora no Flamengo estamos fazendo jogos. Jogador gosta disso. Quando as partidas começarem, vai fluir mais”, disse o atacante, que jogou no Furacão em 2013 ao lado de Everton, com quem pretende firmar parceria: “Acho que é só pegar o jeito que cada um gosta de jogar.”