Por victor.abreu
Presidente do Flamengo achou incomum o esquema de segurança em MacaéDivulgação

Rio - O Campeonato Carioca começou com mais uma dor de cabeça para os dirigentes do Flamengo. Além da briga com a Federação do Rio, por conta do preço dos ingressos, os carlotas rubro-negros agora vão ter que se defender da invasão e agressão de torcedores ao vestiário do Macaé, adversário do último sábado na estreia do Estadual.

LEIA: Mesmo com acordo por partida no Maracanã, Fla e Ferj seguem em 'guerra'

No episódio, o goleiro Ricardo Berna foi agredido e sofreu um corte no queixo. Membros da comissão técnica do time alvianil denunciaram o roubo de alguns pertences dos donos da casa. O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, criticou a falta de segurança no local.

"Vimos pessoas entrando normalmente, casal de mãos dadas, adolescentes, mulheres, como se estivesse franqueado ao público. Em um ambiente que tem um jogo concorrido, e você abre os portões, você está querendo confusão...Não vi nenhum segurança naquela imagem que divulgaram", disse o dirigente, em entrevista ao programa 'Redação SporTv'.

Em campo, Macaé e Flamengo empataram em 1 a 1. Na próxima rodada, o Rubro-Negro enfrentará o Barra Mansa, às 22h, no Moacyrzão. Já o alvianil, campeão da Série C do Brasileirão de 2014, visita o Friburguense, na quinta-feira.

Você pode gostar