Léo Moura deixa o Mengão sem mágoas

Lateral deve embarcar para os Estados Unidos na segunda

Por O Dia

Rio - O abraço de Leonardo Moura no diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano, a caminho da sala de imprensa do Ninho do Urubu, indica paz. Sentado ao lado do dirigente, o capitão dribla qualquer mágoa pela conturbada renovação de contrato. O capitão, capaz de se emocionar sem deixar de sorrir ao ouvir o anúncio oficial de sua saída, se despede aos poucos do clube de coração. Após dez anos de casa, o camisa 2 está relacionado para seus os últimos dois jogos oficiais pelo Rubro-Negro. O departamento de marketing estuda ainda uma partida de despedida.

Léo Moura vai atuar no futebol norte-americanoBruno de Lima

“Eu me coloquei à disposição para estar perto dos meus companheiros. Se vou jogar ou não, depende do treinador”, disse o camisa 2, que emendou: “São dez anos aqui. Uma vida longa no Flamengo. A cada dia que passa e vejo que está chegando o momento de sair, vai batendo uma tristeza, mas sou muito mais feliz por tudo que clube, grupo e torcida fizeram por mim esses anos todos. Só tenho a agradecer. Meu carinho por essa torcida será eterno.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Léo Moura sempre sonhou encerrar a carreira no Flamengo. O processo de extensão do vínculo com o clube, encerrado no ano passado, no entanto, foi traumático. Aos 36 anos e com um alto salário, engoliu um peixe menor do que encomendara, com um novo compromisso até o fim do Carioca. Mas ficou com uma espinha engasgada. Por enquanto, prefere o saborear a novidade.

“A expectativa é grande, são dez anos vestindo a mesma camisa. Não me via em outro clube, por isso escolhi ir para outro país. Não queria perder a identificação com o Flamengo, seria ruim demais. A escolha de ir para um país que está vivendo um novo momento está sendo especial.”

Um dia depois de Vanderlei Luxemburgo colocar lenha na fogueira e cobrar uma definição para diminuir a pressão sobre Pará, Rodrigo Caetano, surgiu como bombeiro. O diretor evitou falar das vaias ao atual titular da posição, no empate em 1 a 1 com o Madureira. Apenas lamentou a saída de Léo Moura e pregou reconhecimento aos serviços prestados pelo jogador com a camisa do Flamengo.

Segundo Caetano, o clube vai avaliar se buscará algum reforço para a posição, já que tem até a décima rodada para inscrever jogadores no Carioca.