No clima decisivo da Liga das Américas, Fla mira 'jogo mais importante do ano'

Técnico José Neto elogia o Pioneros de Quintana Roo, rival da semifinal, e mostra confiança no time rubro-negro

Por O Dia

Rio - O Flamengo já respira o Final Four da Liga das Américas e está focado em conquistar o bicampeonato da "Libertadores do Basquete". Sediar o torneio é mais um trunfo, algo que deu certo no ano passado. Neste clima, o Rubro-Negro se prepara para o "jogo mais importante da temporada", sábado, às 20h15, contra o Pioneros de Quintana Roo, no Maracanãzinho, rival que levou a melhor na primeira fase da competição.

José Neto destaca importância do jogo contra o PionerosDivulgação

"Vamos jogar contra um time que enfrentamos recentemente. Eles estavam jogando a vida. Se perdessem, estavam fora. Eles têm um poderio interno, com Keenan, exploram o pick and roll com os armadores. Eles têm também bons arremessadores de três, que é o Beck, e o Hernandez, ala-pivô que abre para chutar e é difícil de defender. Tenho confiança e estaremos preparados. É o principal jogo da temporada. Depois, podemos ter alguns outros jogos mais importantes. Tenho certeza de que estaremos muito bem afiados para este jogo", declarou o técnico José Neto.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

O treinador, o presidente Eduardo Bandeira de Mello, o vice de esportes olímpicos Alexandre Póvoa, o diretor-executivo de esportes olímpicos Marcelo Vido, e os atletas Marcelinho, Marquinhos e Laprovittola participaram de uma coletiva, nesta terça-feira, na Gávea, para promover o Final Four da Liga das Américas. Bandeira mostrou confiança no time rubro-negro.

"Vamos ter no fim de semana mais uma vez a Liga das Américas. E pela segunda vez vamos ganhar. Estamos num momento interessante no basquete, com recuperação no NBB, final da Liga de Basquete de Desenvolvimento (LDB) e da Liga das Américas", declarou Eduardo Bandeira de Mello.

Póvoa destacou o esforço do Flamengo para conseguir o direito de sediar o Final Four. Em meio à dificuldade na temporada, a meta é se manter como "Orgulho da Nação".

"Há um ano, havia uma ansiedade muito grande para ganhar a Liga das Américas e sonhar em ser campeão mundial. Passado um ano, conseguimos algo que muitos consideravam impossível, que era ser campeão mundial. A cada ano é um desafio diferente. Apesar de tudo este ano, com fechamento do Tijuca, W.O, eu digo que o Flamengo pode perder ou ganhar, mas tem a obrigação de pensar alto, sempre com os pés no chão. Fizemos um esforço muito grande para trazer o Final Four. Sabemos o sucesso do ano, quando conseguimos vencer. Este ano vai ser tão complicado ou mais. Estamos crescendo na hora certa. Independentemente de títulos, nosso maior objetivo é manter a alcunha dada pela torcida de 'Orgulho da Nação'. Tenho certeza de este grupo vai honrar isso e ganhar de novo", disse o dirigente.