Por pedro.logato

Rio - A censura interna foi a forma que a diretoria do Flamengo encontrou para não ter mais problemas com a procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio (TJD-RJ). Numa reunião com o grupo, terça-feira, no Ninho do Urubu, o vice de futebol, Alexandre Wrobel, determinou que os jogadores evitem comentários sobre arbitragem. Além disso, orientou o time a deixar fora de campo a repercussão dos erros de arbitragem na primeira partida da semifinal do Campeonato Carioca, contra o Vasco. “A ordem é jogar bola”, disse o dirigente.

Flamengo está focado em vencer o VascoMárcio Mercante

“Temos que só pensar em jogar futebol para passarmos pelo Vasco. De cabeça quente, o jogador fala algumas coisas que não deve falar. Agora, é só pensar no Vasco”, confirmou Everton.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

É consenso na Gávea que Jonas foi imprudente e deveria ter sido expulso. A diretoria, no entanto, prefere passar a página. O temor é que a preocupação excessiva com o apito possa interferir no desempenho da equipe no campo de jogo, principalmente nas divididas.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

Novo atrito nos bastidores

Mesmo os dirigentes preferem manter a cautela no discurso, a fim de que a briga nos bastidores não interfira na preparação do time para o jogo decisivo de domingo. O que não significa que Wrobel vá se calar.

Nesta quarta-feira, o procurador do TJD-RJ, André Valentim, disse que não denunciará o presidente do Vasco, Eurico Miranda. Isso porque não identificou agressividade no texto das duas notas oficiais emitidas, segunda-feira, pelo clube. Eurico usou a palavra farsa, no título dos comunicados, e afirmou que um mesmo time é sempre beneficiado.

“Lamento profundamente, mas, sinceramente, eu já esperava por isso. Se acham menos grave do que usar a palavra porrada no sentido de crítica, o que podemos fazer?”, questiona Wrobel.

Everton garante estar 100% para pegar o Vasco

Everton é titular de Vanderlei Luxemburgo. Mas tem sofrido com lesões. Agora, para a partida decisiva, o camisa 22 garante estar recuperado para defender o retrospecto de quatro vitórias, três empates e uma derrota diante do Vasco, pelo Rubro-Negro.

“Estou 100%. Claro que o jogador não gosta de se machucar, atrasa muito. Na primeira lesão, voltei bem e é até difícil de falar. Fui dar um chute contra o Bangu e acabei sentindo. Graças a Deus, contra o Vasco, as coisas têm acontecido bem. Sempre foram jogos difíceis, mas estou tendo sorte”, disse Everton, que ficou no banco no domingo passado, depois de desfalcar o time nas últimas três rodadas da Taça Guanabara.

“A final do ano passado foi a que mais marcou. O jogo estava no fim, estávamos tensos, mas o gol do Márcio no fim deixou tudo tranquilo”, emendou.

Você pode gostar