Por pedro.logato

São Paulo - Vanderlei Luxemburgo continua seu lobby por um reforço de peso. Nesta quarta-feira, após o empate em 2 a 2 com o Bragantino, em jogo-treino realizado em Atibaia, o treinador reiterou a necessidade de o clube buscar um upgrade, se realmente quiser brigar por uma vaga na Libertadores de 2016. A diretoria observa o mercado, mas não abandona sua política de austeridade. Com o projeto Robinho no campo dos sonhos, o treinador, sempre que pode, dá o seu recado.

Flamengo empatou com o Bragantino em jogo-treinoGilvan de Souza / Flamengo

“O time está com estrutura muito boa, mas falta alguma coisa. Já falamos algumas vezes. O Flamengo, com sua grandeza, sua tradição e seu peso, pode disputar lá em cima, vaga na Libertadores e conquista de campeonato. Mas para chegar nesse grupo de seis que vão brigar ainda falta alguma coisa.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Nesta quarta-feira, com o que tem, o Flamengo fez um jogo-treino para não perder o ritmo até a estreia pelo Campeonato Brasileiro, contra o São Paulo, domingo, no Morumbi. O Rubro-Negro abriu 2 a 1 no primeiro tempo, com o time titular, mas o time reserva cedeu o empate na etapa final para o Bragantino, da Série B nacional.

“Foi um treino bom. Os dois tempos foram movimentados. Não estou considerando perder ou ganhar. No segundo tempo não tive a velocidade de lado como tive no primeiro. Tive jogadores muito mais de toque de bola. Consegui analisar as duas situações”, concluiu o técnico, que escalou Paulo Victor (César), Pará (Luiz Antonio), Bressan (Marcelo), Wallace (Frauches) e Anderson Pico (Thallyson); Jonas (Cáceres), Canteros (Márcio Araújo) e Arthur Maia (Mugni); Gabriel (Almir); Marcelo Cirino (Eduardo) e Everton (Douglas Baggio).

Vanderlei é contra jogos fora do Maraca

A diretoria do Flamengo estuda mandar até quatro jogos do Campeonato Brasileiro fora do Rio. A ideia é fugir do alto custo do Maracanã, buscar maiores receitas de bilheteria e ainda movimentar o programa sócio-torcedor em outros estados. Vanderlei Luxemburgo é contra:

“Não gostaria, mas sou funcionário, cumpro ordens. O privilégio de jogar em casa você não pode perder. O adversário sabe que vai jogar na sua casa. E o Maracanã é a casa do Flamengo. Quando vai na casa do adversário, você o respeita. Isso funciona muito no futebol.”

Você pode gostar