Dirigente do Fla descarta gasto em excesso por Guerrero: 'Na realidade'

Wrobel afirmou que política de austeridade possibilitou reforço

Por O Dia

Rio - Guerrero é o nome de peso que o Flamengo tanto buscava para o Brasileirão. Sem acordo com o Corinthians, o jogador chegou ao Rubro-Negro por valores milionários. Os cariocas não divulgaram de forma oficial os números das transações, mas o atleta vai receber cerca de de R$ 650 mil mensais, mais luvas de R$ 16 milhões. No fim do contrato, a operação terá custado pouco mais de R$ 41 milhões ao clube.

Em entrevista ao Sportv, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Alexandre Wrobel, descartou que o clube carioca esteja fazendo um esforço maior que o limite para trazer o peruano. Segundo o dirigente, a política de austeridade do Rubro-Negro, iniciada em 2013, com a chegada de Eduardo Bandeira de Mello a presidência permitiu que os cariocas pudessem finalizar a contratação.

Alexandre Wrobel falou sobre a contratação de GuerreroDivulgação

"Sem entrar em detalhes de números, até porque há uma cláusula de confidencialidade, posso garantir que foi nossa postura de austeridade que permitiu contratar o Guerrero. O Flamengo, nos últimos dois anos e meio, adotou uma postura de contenção de despesas visando a chegar a um ponto em que estamos agora, começando a caminhar no sentido de buscar capacidade financeira para fortalecer o time. Essa austeridade que permitiu a contratação. Está na nossa realidade. Nunca falamos que não poderíamos contratar um grande jogador de alto salário, dissemos que só poderíamos se tivéssemos condição de fazer. E chegou o momento que nos permitiu. É um grande nome. O Flamengo, de forma alguma, deu um passo maior que as pernas", afirmou.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

O Flamengo volta aos gramados no próximo domingo para enfrentar o Fluminense. O duelo que acontece ás 18h30, no Maracanã, e vai marcar a estreia de Cristóvão Borges pelo clube da Gávea.