'Vai continuar abençoando o Flamengo', diz Zico no velório do mestre Carlinhos

Galinho foi à Gávea se despedir do ídolo nesta terça-feira

Por O Dia

Rio - O velório de Carlinhos levou vários ídolos da história do Flamengo à Gávea durante esta terça-feira para dar o último adeus ao mestre. Leandro, Zinho, Jorginho e Zico foram alguns dos ex-jogadores que foram se despedir do amigo. O eterno camisa 10 rubro-negro tinha uma relação especial com Violino, que quando se aposentou, o presenteou com suas chuteiras. Quando o Galinho se despediu dos gramados, foi a sua vez de retribuir o carinho.

FOTOGALERIA: Torcedores e ídolos vão ao velório de Carlinhos na Gávea

"Foi um grande mestre e tive o privilégio de ver jogar. Ia muito ao Maracanã ver o famoso meio campo com ele e o Nelsinho. E depois trabalhando aqui no Flamengo tive a felicidade de encontrá-lo. E por obra do destino, quando se despediu fui eleito para que ele entregasse as chuteiras e esse destino nos coroou depois porque quando me despedi pude entregar minha última camisa como profissional para o Carlinhos. Então é uma amizade muito grande, um dos maiores rubro-negros que a gente tem e que sempre fez da Gávea a sua casa. É uma perda grande para todos. Será muito bem recebido e vai continuar abençoando o Flamengo lá em cima", contou Zico ao site oficial do Flamengo.

Zico foi prestar sua última homenagem ao amigo CarlinhosLevy Ribeiro

Antes de comandar a equipe rubro-negra em 1987, Carlinhos era técnico dos juniores, e quando assumiu a equipe principal, conquistou o título brasileiro daquele ano.

"O violino... Aquela classe dele jogando e depois houve a convivência com ele aqui na Gávea. Começou a trabalhar aqui nas categorias de base e acabou substituindo o técnico dos profissionais e a gente acabou trabalhando com ele duas vezes, sendo uma gloriosa com a conquista do Brasileiro de 87. Fizemos uma grande amizade. Era um cara tranquilo, com aquela fala mansa e rubro-negro de coração", afirmou o Galinho, que falou sobre as homenagens para Carlinhos.

"Acho que não é só num jogo. O Carlinhos merece homenagem todos os dias. Só o fato de ter seu busto aqui mostra como é querido pelo Flamengo e quanto o Flamengo reconhece ele. Então aquele busto toda vez que alguém ver vai saber o quanto foi importante para o Flamengo", concluiu.

Carlinhos faleceu na segunda-feira, aos 77 anos, vítima de insuficiência cardíaca. Como jogador, defendeu o Flamengo entre 1958 e 1969. Como treinador, passou pelo Rubro-Negro sete vezes.