Flamengo é o peruano e mais dez

Atacante é arma para espantar crise e impedir a demissão de Cristóvão

Por O Dia

Rio - Paolo Guerrero fez só um jogo com a camisa do Flamengo, mas seus companheiros já mostram claros sinais da ‘Guerrerodependência’. Os sintomas vão desde a falta de gols à diminuição da confiança, como ficou evidente na derrota (3 a 0) para o Corinthians, domingo, no Maracanã. Como um salvador, ele treinou ontem, no Ninho do Urubu, e volta contra o Náutico, amanhã, em Pernambuco, pela Copa do Brasil — assim como Emerson. Dois reforços comemorados pelo ameaçado Cristóvão Borges. Afinal, em caso de novo tropeço, a demissão do treinador parece óbvia e sintomática.

“Pelo que jogamos contra o Inter e contra o Corinthians, fica claro que temos uma dependência grande por ele, porque o Guerrero sabe segurar muito bem a bola no ataque”, analisou Cáceres.

Guerrero é a esperança do Flamengo no BrasileirãoDivulgação

Outra preocupação é o fato de o Flamengo não poder contar com Guerrero em vários momentos da temporada, uma vez que o peruano disputará as Eliminatórias para a Copa da Rússia. Já há a constatação de que o time precisará sobreviver sem o astro, como apontou Cáceres: “Quando ele estiver na seleção, temos que nos virar e tratar de fazer um bom jogo também.”

Mesmo assim, Guerrero parece ser o melhor remédio contra a crise. Ele animou a atividade de ontem, sob o comando de Cristóvão Borges, e ignorou a nuvem negra que paira sobre o clube. “O grupo sabe a importância do Guerrero”, declarou Cáceres.

Cristóvão sobre pressão

Se Guerrero é unanimidade, o mesmo não se pode dizer de Cristóvão. Ele segue ameaçado e o Fla precisa empatar por dois ou mais gols com o Náutico para avançar na Copa do Brasil e ele não ser demitido. Apesar do apoio do presidente Eduardo Bandeira de Mello, pessoas do conselho gestor que administra o futebol pedem a cabeça do treinador e só uma sequência de vitórias vai acalmar os ânimos.

Treinador faz mistério para definir quem pega Náutico

Como desgraça pouca é bobagem, o técnico Cristóvão Borges sente a urgência de ter que encaixar boa sequência de resultados e, de quebra, quebra a cabeça para encontrar os substitutos do lateral-direito Ayrton e do meia Alan Patrick.

Eles não podem jogar na Copa do Brasil por terem defendido o Palmeiras. Os substitutos devem ser definidos no treino de hoje, no Ninho do Urubu.

“Vou analisar bem o que vai acontecer no treino e depois decidimos quem joga contra o Náutico. O importante é que o nosso desempenho melhore independentemente de quem for a campo”, afirmou Cristóvão Borges, que deve fazer mistério até momentos antes da partida.