Cristóvão Borges justifica mudança no intervalo: 'Marcar melhor a Ponte Preta'

Técnico tirou o meia Alan Patrick e colocou mais um volante

Por O Dia

São Paulo - O Flamengo foi superior no primeiro tempo e acertou a trave duas vezes. Mesmo assim, Cristóvão Borges avaliou que era preciso reforçar a marcação. Esta foi a explicação para a entrada de Luiz Antonio no lugar de Alan Patrick, que fazia uma boa partida. Na etapa final, com três volantes, a Ponte Preta chegou ao gol da vitória, neste domingo, no Moisés Lucarelli.

"Era justamente para o que aconteceu no segundo tempo, quando a gente conseguiu marcar melhor a Ponte. Aí tomamos o controle do jogo e criamos mais oportunidades, que foram mais claras. Jogamos melhor no segundo tempo. A Ponte chegou muito menos. A substituição era para isso e o objetivo foi alcançado. Pena a gente não ter aproveitado bem as oportunidades que criou", justifica Cristóvão.

Na visão do técnico, o Flamengo atuou melhor no segundo tempo. A lamentação é pelo fato de não ter conseguido fazer gol.

"Tivemos volume de jogo e o mais importante, que é a criação, mesmo com o jogo difícil, truncado e tecnicamente abaixo. Mas, no segundo tempo, a gente conseguiu marcar melhor e impedir a Ponte, tanto que nosso goleiro trabalhou muito pouco, quase nada. E criamos as oportunidades. Se tem as oportunidades, tem deaproveitá-las. Não aproveitamos e sofremos o gol de bola parada. Se a gente tivesse aproveitado as oportunidades, poderia ter sido de goleada, porque tivemos muito mais oportunidades. A Ponte conseguiu fazer um gol, mas a melhora da equipe é só olhar bem. O César não teve muito trabalho no primeiro tempo, menos ainda no segundo. Isso é uma demonstração de que a Ponte quase não chegou", analisou.

O Flamengo volta a campo na quarta-feira, às 19h30, para enfrentar o Atlético-PR, no Maracanã.