De novo com um camisa 10, Flamengo vence o Atlético-PR no Maracanã

Com a responsabilidade de ser usar o número eternizado por Zico, Ederson estreia com triunfo; Fla sofre pelo alto de novo

Por O Dia

Rio - Fazia tempo que ela estava guardada e não entrava em campo. A camisa 10 do Flamengo voltou a ter um dono - o último a usá-la foi Mugni, em dezembro. Ederson assumiu a responsabilidade de vestir o número eternizado por Zico. Em sua estreia, mostrou qualidade e até que pode acabar com a carência do time, mas ainda precisa de ritmo. Sem Guerrero, suspenso, o Rubro-Negro apostou na movimentação e conseguiu vencer o Atlético-PR, nesta quarta-feira, por 3 a 2, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. O alerta, mais uma vez, é a deficiência na jogada aérea. Os dois gols do Furacão foram de escanteio.

Emerson Sheik fez o segundo gol do Flamengo no MaracanãAndré Mourão / Agência O Dia

Ederson dá sinal de que pode comandar o meio de campo do Flamengo. Mas Alan Patrick está cada vez melhor. Ele fez gol de falta e assistência para o de Wallace. Cristóvão Borges vai armar o time com os dois? Ou apenas um vai ter a função de municiar Guerrero? O técnico, por sinal, mostrou que tem prestígio com o elenco. Os jogadores o abraçaram na hora do primeiro gol. Cristóvão tem sofrido com críticas.

O Flamengo melhora seu retrospecto no Maracanã no Brasileiro. O clube conquistou apenas a terceira vitória no estádio. O Rubro-Negro empatou outros dois jogos e perdeu quatro no Maraca.

Com a vitória, o Flamengo pulou para 23 pontos. Na próxima rodada, o Rubro-Negro vai estrear no horário das 11h e enfrentará o Palmeiras, no Allianz Parque. O Atlético-PR continua com 29 pontos. O Furacão volta no sábado, às 18h30, e recebe o Santos.

O jogo

O Flamengo novamente partiu para cima e pressionou o rival no começo da partida. Ederson, logo no primeiro minuto, deu o cartão de visitas e pedalou, animando a torcida. Depois, recebeu na ponta esquerda e chutou. Weverton espalmou. Vilão nos dois últimos jogos, o Rubro-Negro agora teve o escanteio como arma. Após levar dois gols nos dois últimos jogos de bola parada, foi a vez de comemorar. Wallace surgiu no meio da área e completou escanteio cobrado por Alan Patrick: 1 a 0. Os jogadores correram para abraçar Cristóvão, uma clara demonstração de apoio ao técnico.

Na comemoração%2C jogadores abraçaram Cristóvão Borges%2C clara demonstração de apoio ao técnicoAndré Mourão / Agência O Dia

O Atlético-PR encontrava dificuldade para criar. Walter brigava contra a zaga rubro-negra e levava a pior. O primeiro susto dos paranaenses foi com o lateral-direito Eduardo. Ele arriscou de fora da área. A bola foi para fora, com perigo. O Furacão conseguiu explorar a deficiência aérea do Flamengo. Como? Após jogada de escanteio, claro. César espalmou e salvou a tentativa de gol olímpico. Porém, Marcos Guilherme ficou com o rebote e cruzou para área. A zaga do Fla não subiu. Hernani desviou e empatou o jogo.

O Flamengo tentou retomar o domínio do jogo e tentava se lançar ao ataque pelas pontas. A chance do segundo gol caiu nos pés de Ederson. Ele apareceu pelo meio e chutou de primeira, mas mandou para fora. Emerson Sheik caprichou na pontaria. Everton ganhou pelo alto e desviou para o atacante. Ele encheu o pé esquerdo e acertou o canto: 2 a 1. A camisa 10 estava com Ederson, mas Alan Patrick bateu falta, sofrida por Ederson, como um legítimo 10: no ângulo, sem chances para Weverton: 3 a 1.

Novo camisa 10%2C Ederson fez sua estreia pelo FlamengoAndré Mourão / Agência O Dia

No segundo tempo, Walter finalmente conseguiu vencer a zaga rubro-negra. Ele girou entre três jogadores e soltou a bomba. A bola, porém, foi por cima, com perigo. Cristóvão Borges fez a primeira mudança e promoveu outra estreia. Kayke entrou no lugar de Ederson. Revelado pelo Flamengo, ele volta ao clube após oito anos.

O Atlético-PR explorou de novo a deficiência rubro-negra pelo alto. Após cobrança de escanteio, Kadu marcou o segundo gol do Furacão. O Flamengo conseguiu aumentar a média de gols sofridos de escanteio. Agora são quatro nos últimos três jogos. Cristóvão teve de fazer mais uma mudança. Samir entrou no lugar de Wallace, lesionado.

Kayke até balançou a rede, mas o gol foi corretamente anulado. O atacante aproveitou rebote de chute de Canteros. Porém, estava impedido. O Flamengo tinha maior posse de bola. Emerson Sheik comandava o time. Ele cavou a expulsão de Hernani.

Com um jogador a mais, o Flamengo segurou o resultado e voltou a vencer no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3X2 ATLÉTICO-PR

Estádio: Maracanã
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza
Gols: Wallace (Flamengo, aos 11' do 1ºT), Hernani (Atlético-PR, aos 24' do 1ºT), Emerson Sheik (Flamengo, aos 39' do 1ºT), Alan Patrick (Flamengo, aos 44' do 2ºT) e Kadu (Atlético-PR, aos 19' do 2ºT)
Cartão amarelo: Kadu, Barrientos e Sidcley (Atlético-PR) e Pará (Flamengo)
Cartão vermelho: Hernani (Atlético-PR)

FLAMENGO: César; Pará, César Martins, Wallace (Samir, aos 21' do 2ºT) e Jorge; Márcio Araújo, Canteros (Jonas, aos 38' do 2ºT), Everton, Alan Patrick e Ederson (Kayke, aos 11' do 2ºT); Emerson Sheik; Técnico: Cristóvão Borges.

ATLÉTICO-PR: Weverton; Eduardo, Vilches, Kadu e Sidcley; Otávio (Daniel Hernández, aos 17' do 2ºT), Hernani, Marcos Guilherme e Nikão (Crysan, no intervalo); Bruno Mota (Barrientos, aos 31' do 1ºT) e Walter; Técnico: Milton Mendes.