Bons ventos no Flamengo

Volta de Paulo Victor é arma para afundar a nau vascaína

Por O Dia

Rio - O goleiro Paulo Victor treinou normalmente, nesta segunda-feira, no Ninho do Urubu. Diante da fase instável do reserva César, o titular deve voltar à equipe para o jogo decisivo desta quarta, contra o Vasco, no Maracanã. A virada sobre o São Paulo, na estreia do novo comandante Oswaldo de Oliveira, com quebra de jejum de gols do Guerrero, apontou para uma mudança de ventos. Agora, é preciso afundar a nau vascaína - o time tem que vencer por dois gols - para dissipar a tempestade e navegar em tempos de bonança.

Paulo Victor deve voltar ao time do Flamengo no clássico com o VascoAndré Mourão / Agência O Dia

“No futebol, passa-se muito rapidamente da depressão à euforia. As coisas acontecem rapidamente. Cristóvão vinha fazendo um bom trabalho, Oswaldo chegou com muito respeito com o que vinha sendo feito e deixou claro que ia dar sequência a esse trabalho. A vitória de domingo nos deu muita confiança, esperamos que seja uma mudança de maré. Vamos fazer de tudo para conseguir o resultado”, afirmou Ederson.

LEIA MAIS: Vasco x Flamengo: 30 mil ingressos vendidos para clássico decisivo

Em clássicos contra o Vasco, a calmaria costuma passar longe. Entre divididas ásperas e pouco futebol, o Rubro-Negro perdeu três e empatou um dos quatro últimos confrontos com o rival. E nem sequer fez gol. Para o barco da Copa do Brasil não virar de vez, Ederson ressalta a necessidade de se manter o aprumo psicológico, apesar da rivalidade de terra e mar que marca a história dos clubes:

“Por isso a importância de se ter equilíbrio e não perder a cabeça durante os 90 minutos. O resultado de 1 a 0 é possível. Temos que buscar até o fim do jogo e nos prepararmos bem no aspecto mental para chegarmos bem e prontos para qualquer cenário.”

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

Após dez anos na Europa, Ederson cruzou o Atlântico em busca de um lugar ao sol no futebol brasileiro. No mapa de navegação do meia, ele traça as boas atuações com a camisa do Flamengo para voltar à Seleção. Às costas, o número 10 daquele que fez o Rubro-Negro conquistar o mundo. O jogador, porém, com três gols em quatro jogos, não fica mareado com o peso da responsabilidade: “Como o próprio Zico me aconselhou, quando entro em campo, esqueço o número e tento trabalhar para o time.”

Boas opções para definir o time

Oswaldo de Oliveira não poderá contar com o meia Alan Patrick e o lateral Ayrton, que já jogaram na Copa do Brasil pelo Palmeiras, e o capitão Wallace, expulso no primeiro jogo contra o Vasco, mas ganhou opções. Além da volta de Jorge, que cumpriu suspensão contra o São Paulo, Paulinho retornou ao time no segundo tempo da vitória de domingo e Marcelo Cirino treinou, nesta segunda-feira, normalmente. O treinador definirá a equipe no trabalho desta tarde.

Jorge deixou mais cedo o coletivo disputado nesta segunda, entre reservas e jogadores da base, no Ninho do Urubu, acompanhado pelo médico Márcio Tannure. A princípio, o jogador não preocupa. O lateral-esquerdo, que tem sido um dos destaques do time, foi substituído no jogo passado por Everton, que atuou improvisado.