Por renata.amaral

Rio - Apesar da boa vitória do Flamengo sobre o Joinville, por 2 a 0, um questionamento ainda fica no ar: Paolo Guerrero. O peruano, que chegou ao Rubro-Negro e rapidamente se tornou ídolo da torcida, ficou afastado por conta de uma lesão no tornozelo e desde que retornou ao time, não conseguiu fazer partidas convincentes. No jogo deste domingo, o atacante foi substituído por Kayke, no meio do segundo tempo. A opção foi para poupá-lo, segundo Oswaldo de Oliveira.

"Ainda não conversei com ele sobre o jogo, mas foi visível o esforço dele para se manter pressionado o adversário. No final eu senti que ele já tinha perdido um pouco do rendimento e o substituí. Ele foi muito desgastado. Eu estava torcendo para ele fazer o gol, mas senti que, naquele momento, a possibilidade dele manter o desempenho e fazer o gol, foi muito diminuída. A pressão ia crescer muito em cima dele. Foi uma atitude até para resguardá-lo e dar uma oportunidade ao Kayke, que também merece", explicou o técnico, que não poupou elogios à atuação do Rubro-Negro.

"O Flamengo fez uma partida muito boa. O detalhe da paciência foi fundamental. Durante todo o jogo, a gente sabia o que ia encontrar no adversário. Nos preparamos a semana inteira para resistir a isso, para criar as oportunidades mesmo com essa dificuldade imposta. A equipe criou bastante oportunidades. O primeiro tempo, ao meu ver, foi muito bom, melhor até que o segundo. Através da insistência, fomos minando a resistência do adversário e conseguimos fazer os dois gols."

Com 44 pontos, o Flamengo se aproximou do G-4 do Campeonato Brasileiro e ocupa a sexta posição na tabela. O Rubro-Negro volta a jogar apenas no próximo dia 14, contra o Figueirense, às 22h, no Orlando Scarpelli.

Você pode gostar