Pausa não alivia a ansiedade no Fla

Apesar da parada no Brasileirão, Rubro-Negro segue em estado de alerta em busca da vaga na Libertadores

Por O Dia

Rio - A parada no Campeonato Brasileiro dá a Oswaldo de Oliveira a possibilidade de conhecer melhor o grupo que ele assumiu há menos de dois meses. A aparente tranquilidade dos dias sem jogos oficiais, porém, esconde a pressão por uma vaga na Libertadores. Nem o clima bucólico do Ninho do Urubu é capaz de amenizar a tensão. O sétimo lugar, os dois pontos que separam o time do quarto colocado e a possibilidade de a zona de classificação virar G-5 alimentam a ansiedade.

Flamengo luta por vaga na LibertadoresGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

“É um aspecto importante, não tenho como negar. A concorrência é grande. São vários adversários, todos com a mesma pretensão. Adversários qualificados. Isso gera uma tensão maior, mas vejo o lado positivo, não podemos deixar passar o nível, tanto para cima quanto para baixo. Isso nos deixa em estado de alerta e nos motiva bastante para cada jogo que vamos enfrentar”, disse Oswaldo.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

O diretor de futebol do clube, Rodrigo Caetano, traça como meta seis vitórias em nove jogos. Oswaldo admite que a missão é difícil, mas acredita ser possível conquistar a vaga com menos pontos do que imagina o dirigente.

“A missão é complicada para o Flamengo e para os oponentes também. Temos confrontos diretos interessantes, quanto mais somarmos vai ajudar muito, e pode ser com seis, cinco vitórias, não sei. Vai muito dos resultados de todos os envolvidos nessa corrida final”, disse o treinador. Oswaldo aposta na oscilação dos concorrentes: “Todos os times têm jogos excelentes e momentos de desequilíbrio. Espero que consigamos encontrá-los num momento desses para temos chance maior de vencer.”

OSWALDO PEDE A PERMANÊNCIA DE EMERSON SHEIK

Flamengo já pensa em 2016. E um dos primeiros passos visando à próxima temporada é iniciar as conversas para a renovação de contrato de Emerson Sheik. Há a expectativa da chegada de uma proposta do futebol chinês pelo camisa 11.

O técnico Oswaldo de Oliveira manifestou seu desejo de contar com o atacante no ano que vem. “É muito importante a permanência dele no clube. O Emerson é um jogador que tenho na minha conta como um dos melhores do futebol brasileiro, atuante, e, se depender do meu aval, que permaneça”, afirmou.

Sheik quer ficar, mas pedirá aumento. Atualmente, ele recebe cerca de R$ 250 mil por mês, metade do que ganhava no Corinthians. Com o assédio dos chineses, o poder de negociação do atacante fica maior.

O time asiático, não revelado, já havia, nos tempos de Corinthians, procurado o jogador, que manteve a palavra e fechou o acordo com o Flamengo.