Em amistoso sonolento, reservas do Flamengo garantem vitória no Maracanã

No dia em que completou 120 anos, Rubro-Negro bateu o Orlando City: Luiz Antonio, de falta, fez o gol do triunfo

Por O Dia

Rio - A festa em campo foi econômica, com pouca emoção e brilho, retrato do atual momento do time nas quatro linhas. No amistoso em comemoração aos 120 anos do Flamengo, os reservas salvaram o dia e decretaram a vitória por 1 a 0 sobre o Orlando City, neste domingo, no Maracanã. O público de pouco mais de 12 mil pessoas foi prestigiar o clube, viu ídolos na partida preliminar e sonhou com dias melhores para o futuro.

Reservas do Flamengo garantiram a vitória e a festa no MaracanãErnesto Carriço / Agência O Dia

No primeiro tempo, Oswaldo de Oliveira mandou a campo o time titular - Emerson Sheik foi preservado. A equipe rubro-negra foi a seguinte: Paulo Victor; Pará, César Martins, Wallace e Armero; Jonas, Márcio Araújo e Alan Patrick; Everton, Gabriel e Kayke. A atuação deu sono. O Flamengo teve pouca inspiração e sofreu alguns sustos. Paulo Victor ainda defendeu um pênalti.

FOTOGALERIA: As imagens da vitória do Flamengo sobre o Orlando City

Os reservas não mudaram o panorama. Pelo menos, garantiram a vitória, com um gol de falta de Luiz Antonio. Pouco para a festa, mas o retrato do momento atual do time. Agora, o Flamengo volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Santos, às 22h, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

O jogo

O amistoso começou sonolento, com o Flamengo com maior posse de bola, mas sem inspiração. O primeiro lance de perigo foi quando Kayke ganhou pelo alto, após cruzamento de Pará, mas errou o alvo, cabeceando com perigo para fora.

O Orlando se defendia e buscava o contra-ataque, mas errava passes. O clube norte-americano se aproveitou do "sono" do Flamengo e quase deu o bote. Em jogada nas costas de Pará, Carlos Rivais invadiu a área e chutou para fora. Depois, Alan Patrick cochilou na área e fez pênalti. Bryan Róchez parou em Paulo Victor.

O Flamengo tentou acelerar o ritmo. A alternativa foi arriscar de fora da área. Alan Patrick chutou por cima. Kayke, com categoria, buscou o canto do goleiro, mas também jogou para fora. Pouco para um primeiro tempo sonolento.

Oswaldo de Oliveira trocou todo o time para o segundo tempo: César; Ayrton, Samir, Marcelo e Jajá; Thiago Santos, Luiz Antonio e Canteros; Matheus Sávio, Paulinho e Douglas Baggio entraram. O Orlando quase marcou. Pedro Ribeiro carregou para o meio e chutou com perigo, para fora.

O Flamengo conseguiu abrir o placar e animar a festa. Luiz Antonio cobrou falta - a bola passou pela barreira e entrou: 1 a 0 no Maracanã. Oswaldo fez outra mudança: colocou Ederson, recuperado de contusão no joelho direito - não jogava desde setembro, na vaga de Matheus Sávio. O meia teve atuação discreta.

O ímpeto do Flamengo diminuiu. O Orlando tentou buscar o empate, mas não estragou a festa rubro-negra.