A última cartada do Flamengo

Time enfrenta o Santos jogando suas últimas fichas

Por O Dia

São Paulo - Se ainda sonha com alguma coisa no Campeonato Brasileiro, o Flamengo terá que ser estrategista como um jogador de poker. No momento, o time tem poucas cartas na manga, mas uma vitória contra o Santos, nesta quinta-feira, às 22h, na Vila Belmiro, pode colocar o clube de volta no jogo.

Para ter um ‘all in’ e apostar todas as suas fichas, o Flamengo tem a seu favor a volta do lateral Jorge e do atacante Guerrero, que estavam, respectivamente, com a seleção olímpica do Brasil e principal do Peru. Além deles, retorna Emerson Sheik, poupado contra o Orlando City. Se conseguir um ‘flush’, cinco cartas com o mesmo naipe, é impossível já que só faltam quatro jogos.

Flamengo quer manter vivo o sonho da LibertadoresGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

“Enquanto tivermos chances, vamos lutar. Mesmo com derrota não vou dar o ano como encerrado. Cada jogo com a camisa do Flamengo vale muito. Só vou dar o ano como encerrado no dia 6, após a última rodada”, disse o goleiro Paulo Victor, sem dar o ‘fold’, que no poker significa desistir.

O Flamengo tenta evitar um ‘tilt’ de Guerrero. No jogo de cartas, após sucessivas perdas, o apostador tende a jogar cada vez pior, assim como o atacante, que não marca pelo clube desde o dia 23 de agosto, contra o São Paulo.

“Temos que recebê-lo de braços abertos e sabendo a importância que ele tem para gente. Precisamos trazer a alegria que ele está buscando", afirmou o goleiro Paulo Victor, que ainda falou sobre o jeito de ser do peruano.

“Ele é mais reservado, tranquilo. É excelente de se conviver. Isso (jejum) incomoda o Guerrero ou qualquer outro atacante. Temos que passar a confiança para ele", concluiu.
Que façam suas apostas!