Jayme vira página e avalia ano do Fla

Técnico evita falar sobre críticas que fez ao time. Kayke e Everton disputam a vaga de Guerrero

Por O Dia

Rio - Jayme de Almeida quer virar a página e esquecer a última rodada do Campeonato Brasileiro. Em campo, prepara o time como se fosse para um jogo importante, embora o Flamengo vá apenas cumprir tabela, amanhã, contra o Palmeiras, no Maracanã, último jogo da temporada. Fora, não quer mais falar sobre as duras críticas que fez ao time, após a derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR. Nesta sexta-feira, no Ninho do Urubu, perguntado sobre o assunto, fez questão de colocar um ponto final na história, que causou mal-estar no grupo.

Jayme de Almeida comanda o Flamengo no último jogo do anoAndré Morão

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

“Não vou tocar nesse assunto. Está morto. A semana de trabalho foi boa. Isso é passado, não tem problema. Vamos jogar no domingo. Queremos ganhar. A motivação maior é respeitar a camisa que se veste, os companheiros, o adversário e o campeonato. Foi isso que tentei passar a eles. Nada cai do céu. Tem de trabalhar para ganhar. Foi isso que disse a eles durante a semana. Vamos tentar ganhar”, afirmou.

No treinamento, expediente de véspera de decisão. O trabalho foi fechado à imprensa por uma hora e meia. Jayme ainda não sabe se escalará Everton ou Kayke no lugar de Guerrero. Interino no cargo, o treinador quer ajudar a escrever um final que conforte a torcida, mesmo que a história tenha sido ruim desde o início</CW>:

“O ano do Flamengo, mesmo eu não tendo começado, foi de oscilação. Deu pinta no Carioca, mas não chegou à final. Teve bons momentos no Brasileiro. É preciso de uma avaliação para a próxima temporada. Para não repetir os erros. Quando o Oswaldo chegou, ganhamos seis jogos seguidos. Depois caímos. É o mesmo grupo, gente. Não é só uma questão de ter jogador. É uma questão de trabalhar e manter a regularidade.”