Guerrero afirma que não pode resolver sozinho os problemas do Flamengo

Em entrevista a jornal alemão, peruano rechaça rótulo de salvador da pátria

Por O Dia

Rio - Guerrero não mudou o discurso. De férias, o peruano, em entrevista ao jornal alemão Bild, voltou a tentar tirar de cima de si o peso de ser o maior astro do elenco do Flamengo. O atacante terminou a temporada questionado pelos poucos gols que marcou — quatro em 18 jogos — e por ter desfalcado o time em 12 partidas, entre lesões e convocações para a sua seleção.

Guerrero deu entrevista a jornal alemãoGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

“Não sou o salvador. Falei isso desde o início. Quando cheguei, o time estava em penúltimo e no fim da temporada acabamos em 12º. Mas isso não é só mérito meu”, disse o camisa 9, que afirma ter mudado seus hábitos em prol de um melhor desempenho desde que chegou ao futebol brasileiro, em 2012:

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Flamengo

“Ao longo dos anos eu pude me conhecer. Se eu me conhecesse antes, minha carreira teria sido diferente. Agora eu tenho me dedicado diariamente. Antes eu não fazia muito por mim. Claro, eu gostaria de ter 22, 23 anos e ter essa consciência. Assim, eu poderia ter a performance ideal.”

PAULINHO FORA DOS PLANOS

O técnico Muricy Ramalho confirmou, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que o atacante Paulinho está disponível no mercado. O jogador é apontado pela diretoria como o líder das farras que culminaram com o afastamento dele e de mais quatro atletas — Pará, Everton, Alan Patrick e Marcelo Cirino —, na reta final do Campeonato Brasileiro. Ele pode ainda ser punido por ter tirado foto com a camisa do Corinthians.

“Não espero contar com ele, isso está definido. O Paulinho é um jogador que está à disposição do mercado. Ele é um jogador valorizado, tem contrato com o Flamengo. Então tem que se acertar com o Flamengo, tem que ter um pouco de calma. Não é assim que se faz as coisas. Ele tem contrato e deve responder por isso”, afirmou Muricy.