Bandeira minimiza polêmica com Vasco, mas alfineta Eurico: 'Não falo russo'

Presidente não cita mandatário vascaíno e lembra que o Rubro-Negro é sempre voto vencido nas decisões da Ferj

Por O Dia

Rio - O clássico entre Flamengo e Vasco é apenas no domingo às 17h, mas fora de campo, o duelo já começou. Após trocas de farpas, ofícios e entrevistas, neste sábado foi a vez de Eduardo Bandeira de Mello se manisfestar sobre a partida. Depois da entrevista coletiva de Eurico Miranda na sexta-feira, o mandatário rubro-negro fez questão de ironizar e rebater as declarações do vascaíno e reforçou que não existe clima hostil e quer apenas se eximir de qualquer responsabilidade.

"O Flamengo quis deixar claro que não tem responsabilidade nenhuma sobre o evento. A partir do momento que soubemos do TAC tivemos essa preocupação, quando tomamos conhecimentos dos termos públicos do que foi assinado entre o Vasco e o MP (Ministério Público). Não queríamos ser corresponsáveis pela segurança do evento. E eu falei em português, não falei em russo", afirmou Bandeira de Mello em entrevista coletiva na Gávea.

Bandeira de Mello aproveitou a coletiva antes do clássico contra o Vasco para alfinetar Eurico MirandaGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

Bandeira fez questão também de ressaltar que o clima para partida é cordial e comentou sobre a segurança para o jogo ser realizado em São Januário.

"Nas condições em que esse clássico será realizado, queremos incentivar a paz. Tenho muitos amigos vascaínos, nenhum deles se caracteriza pela truculência, arrogância, falta de educação. Tenho certeza que vários torcedores são amigos, tudo harmônico. É esporte. - Todos têm que se esforçar ao máximo para isso. Na história foram mais de 30 jogos entre Flamengo e Vasco em São Januário, mas os tempos são outros, as condições são outras. O Flamengo jogou com a Portuguesa nos anos 1970 em São Januário, eu fui nesse jogo. Não houve problema algum. A situação dos anos anteriores com história de confusões que nos fez lembrar a recomendação do MP, do TAC. Não cabe ao Flamengo falar da segurança, não somos responsáveis pelo jogo nem especialistas. Só queremos que tudo saia da melhor maneira possível."

Questionado se pensa em levar jogos para o estádio da Cidadania, em Volta Redonda, Bandeira não confirmou a possibilidade, mas manteve em aberto: "Vamos fazer todos esforços possíveis para equilibrar a questão técnica e financeira. Não podemos privilegiar apenas o aspecto técnico. Se fosse por isso, jogar na Gávea seria excelente. Mas temos contas a pagar, impostos, série de coisas. Mas vamos fazer o possível para atender à comissão técnica."

Por fim, o presidente do Flamengo não se mostrou surpreso pelo elogios de Muricy à São Januário e concordou com a opinião de seu treinador.

"De maneira nenhuma. Concordo com ele. Fez muito bem em falar isso. Faz parte do trabalho para evitar a hostilidade. O gramado de São Januário é muito bom mesmo. É reconhecer a realidade dos fatos."