Por fabio.klotz

Rio - O Flamengo estreia na Taça Guanabara, neste sábado, às 16h, contra o Madureira, em Volta Redonda, no embalo da classificação para a semifinal da Primeira Liga. A melhor campanha na fase inicial da competição, que une clubes do Rio, do Sul e de Minas, é sinal de que o trabalho de Muricy Ramalho começa a dar resultado. Os jogadores já se acostumaram com o jeito dele e parecem ter comprado a ideia do treinador.

Willian Arão destaca filosofia imposta por Muricy Ramalho no FlamengoGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

“É experiente, sabe quando pode brincar. Mas amanhã o bicho pega (risos)”, disse o volante Willian Arão, artilheiro do time no Carioca, com três gols, ao lado de Guerrero, Sheik e Felipe Vizeu.

O técnico não confirmou se escalará força máxima nesta tarde. Mesmo com time misto ou todo reserva, porém, o Flamengo já tem uma identidade, uma forma de jogar.

Se não mudou o esquema tático, Muricy trouxe ao Rubro-Negro uma nova filosofia. Depois de Vanderlei Luxemburgo pregar que cada jogador deveria carregar um saco de cimento nas costas, classificando o time como operário, Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira tentaram, sem sucesso, armar a equipe de forma mais ofensiva. Agora, a ordem é ter a bola no pé. Inspirado em times como o Barcelona, o técnico quer o Flamengo com o domínio das partidas.

“Estamos trabalhando incansavelmente passes, ficar com a bola. Estamos conseguindo controlar os jogos”, disse Arão, que emendou: “Correr atrás da bola cansa mais, enche o saco. Ficar com a bola é gostoso. Estamos trabalhando para isso.”

Escalações

FLAMENGO: Paulo Victor; Rodinei, Wallace, Juan e Jorge; Cuéllar, Willian Arão e Gabriel (Alan Patrick); Emerson Sheik, Marcelo Cirino e Guerrero; Técnico: Muricy Ramalho.

MADUREIRA: Rafael; Formiga, Daniel, Leozão e Ayrton; Everton, William, Leandro Chaves e Maranhão; João Carlos e Danilo Lins. Técnico: Alfredo Sampaio.

Você pode gostar