Para tirar a 'uruca': Flamengo e Guerrero desencantam e espantam a má fase

Rubro-Negro bate o Boavista e continua na briga pela semifinal

Por O Dia

Rio - Foi uma tarde de glórias, para o Flamengo tirar a uruca e se livrar da má fase. Além de voltar a vencer, após seis jogos de ressaca, foi uma partida de gala do Rubro-Negro. Com atuação impecável, o esquema (4-4-2) de Muricy Ramalho surtiu efeito, o time jogou bem e dominou durante os 90 minutos. Se o placar de 3 a 0 sobre o Boavista, no Raulino de Oliveira, já era suficiente, a vitória teve gostinho ainda mais especial: Mancuello marcou o seu primeiro gol pelo time da Gávea, Marcelo Cirino balançou a rede em seu terceiro jogo consecutivo, e Paolo Guerrero desencantou após um mês de jejum.

FOTOGALERIA: Confira as imagens da vitória do Flamengo sobre o Boavista

Guerrero acabou com o jejum e marcou o terceiro gol do FlamengoGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

O Flamengo foi claramente superior durante o jogo. Sem dar chances para o Boavista, que mal saiu do seu campo de defesa, não era difícil prever a vitória rubro-negra. O primeiro gol chegou aos 18 minutos, com Mancuello, de falta, que achou o ângulo do gol adversário. Ainda no primeiro tempo, aos 30, Cirino acertou uma bomba e ampliou o placar.

Guerrero, que manteve um ritmo intenso na partida, pressionando a defesa adversária e se movimentando bem, teve, enfim, seu dia de glória. Após um mês sem marcar, o peruano voltou a balançar a rede, tomando a bola do goleiro do Boavista e fechando o placar em Volta Redonda. O atacante não fazia gol desde o empate contra o Figueirense, pela Primeira Liga, no dia 9 de março.

A vitória mantém o Flamengo vivo na disputa por uma vaga na semifinal do Campeonato Carioca. Agora com nove pontos, o Rubro-Negro ocupa a terceira colocação da Taça Guanabara, mas espera os jogos dos adversários para se estabilizar na tabela. A próxima partida do time da Gávea será no próximo domingo, às 16h, contra o Bangu, no Moacyrzão.

Já o Boavista encara o Botafogo, no domingo, às 16h, em Bacaxá. A equipe é a sexta colocada, com seis pontos.

O JOGO

O primeiro minuto de jogo foi uma demonstração do que iria ser visto durante toda a partida: o Flamengo atacando um Boavista acuado. Willian Arão achou Rodinei, que cruzou fechado. Vinícius mandou a bola para escanteio, mas não teve sossego. O volante cruzou mais uma vez e fez o goleiro trabalhar novamente.

Os minutos seguintes foram de ataque rubro-negro, que não dava descanso à defesa adversária. Apenas aos 15 minutos, o Boavista conseguiu chegar ao ataque, com Leandrão e Douglas Pedroso, mas sem muita eficácia.

Aos 18, o primeiro gol não apenas da partida, mas também o primeiro de Mancuello com a camisa do Flamengo. O argentino, voltando após 40 dias sem jogar, deixou sua marca com um golaço de falta.

O Flamengo mantinha o mesmo ritmo, principalmente com jogadas pelo lado direito do campo. Aos 30, a tática deu certo e Marcelo Cirino achou espaço para marcar. Rodinei entrou na área, tocou para o atacante, que chutou fortemente e mandou a bola para o fundo da rede.

Mesmo vencendo por 2 a 0, o Flamengo não voltou acomodado para o segundo tempo. Ainda com muita disposição, o Rubro-Negro chegou a finalizar três vezes em quatro minutos. O Boavista só levou perigo aos oito minutos, quando Luiz Alberto, impedido, cabeceou no travessão de Paulo Victor.

O time estava bem, mas Guerrero parecia não estar satisfeito com a vitória, sem deixar a sua marca. O peruano, que teve boa atuação no primeiro tempo, voltou do vestiário se movimentando ainda mais e pressionando a defesa adversária. Era questão de tempo para o atacante desencantar: Vinícius tentou sair jogando e o camisa 9 conseguiu roubar a bola, dribá-lo e mandar com tranquilidade para o fundo do gol. O goleiro do Boavista se machucou no lance e logo em seguida foi substituído.

A etapa final continuou sendo protagonizada pelo peruano, que ainda aos 19 teve boa oportunidade, mas optou por tocar para Cirino, que desperdiçou. Aos 28, Jorge puxou contra-ataque e tocou para Guerrero, que arriscou de fora da área e mandou a bola por cima do gol.

Emerson Sheik ainda teve a oportunidade de ampliar o placar, aos 46 minutos, mas o goleiro reserva Milton Raphael evitou o quarto gol rubro-negro.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3 X 0 BOAVISTA

Local: Raulino de Oliveira (Volta Redonda)
Árbitro: Leonardo Cavaleiro
Público e renda: 3.086 pagantes, 4.648 presentes / R$ 78.190,00
Gols: Mancuello (Flamengo, aos 18' do 1ºT); Marcelo Cirino (Flamengo, aos 30' do 1ºT); Paolo Guerrero (Flamengo, aos 12' do 2ºT)
Cartão Amarelo: Alan Patrick (Flamengo); Luiz Alberto, Anderson Luiz (Boavista)
Cartão Vermelho: -

FLAMENGO: Paulo Victor; Rodinei, Wallace, Juan (César Martins, aos 20' do 2ºT) e Jorge; Cuéllar, Willian Arão, Mancuello (Emerson, aos 35' do 2ºT) e Alan Patrick; Marcelo Cirino (Gabriel, aos 28' do 2ºT) e Paolo Guerrero. Técnico: Muricy Ramalho

BOAVISTA: Vinícius (Milton Raphael, aos 15' do 2º); Léo Cunha, Anderson Luiz, Luiz Alberto e Romarinho (Caio, aos 7' do 2ºT); Douglas Pedroso, Thiago Silva e Willian Maranhão; Reinaldo (André Luis, aos 7' do 2ºT), Matheus Paraná e Leandrão. Técnico: Rodrigo Beckham