Muricy Ramalho aponta Volta Redonda como o melhor lugar para a 'casa' do Fla

Treinador também fez elogios ao estádio do Pacaembu

Por O Dia

Rio - Além da busca pelo acerto do time do Flamengo, Muricy Ramalho tem tido uma dor de cabeça a mais em 2016: a busca por uma "casa" para a equipe. Sem o Maracanã, o Rubro-Negro não tem jogador em um estádio fixo na temporada. Em entrevista ao  "Seleção SporTV", o técnico admitiu a sua preferência pelo estádio Raulino de Oliveira em Volta Redonda.

Muricy Ramalho quer que Flamengo escolha 'uma casa'Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

"O estádio mais perto é em Volta Redonda. A gente está até se sentindo em casa em Volta Redonda. São duas horas e meia de viagem, para sair do Rio é um pouco complicado. Se a gente tivesse um estádio aqui no Rio para jogar... Para a gente, é o mais perto. Quando a gente vai jogar fora perde um dia de treinamento. E podemos ir de ônibus, então a gente faz o nosso horário. De avião, tem que sair bem antes para o aeroporto, tem que esperar o avião. Estamos chegando a essa conclusão. Respeito muito o clube, porque tem a parte econômica, e a gente tem que estar atento a isso. Mas a diretoria está colaborando demais com a gente, já sentamos para fazer um planejamento em relação a isso. A gente joga em Volta Redonda, volta para o Rio e já treina na manhã aqui. Volta Redonda, aqui no Rio, é a única saída", disse.

Em termos de público, o Fla-Flu disputado em São Paulo, no Pacaembu, atraiu muitos torcedores. Muricy gosta da ideia, mas admitiu ser complicado encontrar meios de atuar na capital paulista em um horário sem interferir nos duelos de Corinthians, Palmeiras e São Paulo.

"O Pacaembu foi ótimo. O que mais interessa ao técnico é o campo, o gramado. O Pacaembu é ótimo, o gramado é excelente, o vestiário, as condições de chegada. Hoje você leva 35, 40 minutos de voo até São Paulo. O desgaste é pequeno, acaba o jogo e você volta para o Rio. O Pacaembu foi ótimo. E a torcida foi impressionante. O Flamengo tem torcida em todos os lugares, mas me impressionou. É uma opção boa. Claro que lá são muitos times e é difícil achar datas. Nós temos que escolher um pouco e dividir isso daí. Senão a gente vai ganhar dinheiro, mas vai estourar o time", opinou.