Aos gritos de 'time sem-vergonha', Fla dá vexame e está fora da Copa do Brasil

Flamengo amarga a pior campanha em sua história no torneio

Por O Dia

Rio - Primeira Liga, Carioca e agora Copa do Brasil. O Flamengo amargou a terceira eliminação/vexame na temporada. O Rubro-Negro caiu diante de um time da Série C. O Fortaleza, nos dois jogos, aproveitou a fragilidade defensiva e a falta de poder de fogo do Fla. Nesta quarta-feira, o clube cearense selou a classificação com uma vitória por 2 a 1 no Raulino de Oliveira (já havia vencido a partida de ida por 2 a 1). O Fla se despede da Copa do Brasil e "escreve" sua pior participação no torneio: nunca havia caído na segunda fase. Como "consolo", o Rubro-Negro vai para a Copa Sul-Americana com mais desconfiança ainda. A torcida deu o recado e gritou "time sem-vergonha".

Mancuello teve atuação discreta em vexame do Flamengo%3A eliminado da Copa do BrasilGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

O Flamengo não teve o técnico Muricy Ramalho no banco. De casa, onde se recupera após ter sofrido uma arritmia cardíaca na terça-feira, ele deve ter assistido aos mesmos erros e problemas da temporada: um time desorganizado, frágil defensivamente e com pouca criação. A eliminação é mais uma prova de um trabalho que está longe de decolar e surtir efeito.

FOTOGALERIA: Flamengo perde de novo e está eliminado da Copa do Brasil

Guerrero foi outro desfalque da noite. Ele ficou fora por sentir dores musculares. Ederson atuou na função do peruano. Não funcionou. O camisa 10 se cansou de ficar em impedimento e perdeu chance clara. Está longe de ser culpado. Com ou sem o atacante peruano, o Flamengo se limita ao chuveirinho na área e esbarra na falta de criatividade. A insistência no 4-4-3, improdutivo no ataque e que deixa o time exposto atrás, é uma das incógnitas do Rubro-Negro.

O Flamengo volta a campo no domingo, quando vai enfrentar o Grêmio, às 16h, na Arena do Grêmio.

O jogo

O Fortaleza deu o bote logo no início do jogo. Aos três minutos, o cruzamento pela esquerda de ataque passou por toda a área, sem ninguém cortar, e ficou com Pio. Ele emendou de primeira e fez 1 a 0. A vantagem ficou ainda maior e possibilitou que o clube cearense recuasse e marcasse com todos os jogadores atrás da linha da bola.

O Flamengo, a rigor, teve apenas duas chances de gol. A primeira com Willian Arão. A bola desviou e saiu rente à trave esquerda de Berna. A outra foi um chute de fora da área de Jorge: o goleiro do Fortaleza espalmou. Pouco. Muito pouco. O Rubro-Negro, mais uma vez, concentrou as ações ofensivas pelo lado direito. Foi uma chuva de bola alçada para área, com cruzamentos sempre errados.

O primeiro tempo sem criação e que irritou a torcida - o Flamengo foi para o intervalo sob vaias - não foi suficiente para Jayme de Almeida mudar o time. O Rubro-Negro voltou para a etapa final sem modificação e com os mesmos problemas. Jayme demorou 16 minutos para alterar a equipe. Alan Patrick e Marcelo Cirino entraram. Mancuello e Everton saíram.

Nem deu tempo de surtir algum efeito. O Fortaleza encaixou o contra-ataque (era Sheik quem marcava pela esquerda, em nova prova da bangunça rubro-negra) e viu Pio fazer o segundo. O Flamengo passou a precisar de quatro gols. Ederson, praticamente na pequena área, isolou a melhor chance carioca.

O roteiro do jogo praticamente foi o mesmo. O Flamengo com posse de bola, mas improdutivo no ataque. Alan Patrick, de falta, diminuiu, mas não apagou o vexame.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 1X2 FORTALEZA

Estádio: Raulino de Oliveira
Público e renda: 4.390 pagantes/ 5.193 presentes/ R$ 77.550,00
Árbitro: Diego Almeida Real
Gols: Pio (Fortaleza, aos 3' do 1ºT e aos 19' do 2ºT) e Alan Patrick (Flamengo, aos 43' do 2ºT)
Cartão amarelo: Anselmo (Fortaleza) e Everton, Ederson e Cuéllar (Flamengo)
Cartão vermelho: -

FLAMENGO: Paulo Victor; Rodinei, Léo Duarte, Juan e Jorge; Cuéllar, Willian Arão e Mancuello (Alan Patrick, aos 16' do 2ºT); Everton (Marcelo Cirino, aos 16' do 2ºT), Emerson Sheik (Fernandinho, aos 25' do 2ºT) e Ederson; Técnico: Jayme de Almeida.

FORTALEZA: Ricardo Berna; Felipe Bala (Elivelton, aos 36' do 2ºT), Edimar, Lima e Willian Simões; Pio, Juliano, Dudu Cearense, Everton (Juninho, aos 39) e Jean Mota; Anselmo (Correa, aos 35' do 2ºT); Técnico: Marquinhos Santos.