Bandeira aposta que duelo decisivo será no Engenhão: ‘Difícil Maracanã na final’

A Secretaria de Esporte, Juventude e Lazer prometeu exigir da concessionária que administra o estádio garantias para a realização do jogo

Por O Dia

Rio - Representantes de Flamengo, Fluminense e Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj) se reúnem hoje para tentar dar fim à novela sobre o local da decisão da Taça Guanabara. O Governo do Estado manifestou apoio a Ferj e clubes, além de defender que a partida de domingo, às 16h, seja no Rio, com torcida mista.

O Maracanã não está descartado, embora o presidente do Rubro-Negro, Eduardo Bandeira de Mello, considere a possibilidade remota e aposte no Engenhão. Ontem, a Secretaria de Esporte, Juventude e Lazer do Estado do Rio prometeu, por meio de nota, exigir da concessionária que administra o Maracanã garantias para a realização do jogo. 

Bandeira de Mello não acredita que final será realizada no MaracanãGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

Os dirigentes tentarão, mais uma vez, suspender a liminar que determina torcida única em clássicos no Rio. A medida foi tomada após a morte de um torcedor do Botafogo antes do jogo contra o Flamengo.

Para Bandeira, não há tempo para deixar o Maracanã pronto até domingo. Existe ainda a intenção do Flamengo de poupar o gramado e evitar prejuízos, já que o clube está bancando a rápida recuperação do estádio, totalmente abandonado desde o fim da Olimpíada.

“O comandante do Gepe declarou que acha difícil que o jogo seja no Maracanã”, afirmou o dirigente do Rubro-Negro que, no entanto, acredita não haver obstáculo para que a decisão aconteça na cidade: “ Imagino que, passado o Carnaval, não haja problema de fazer o jogo no Rio.”