Para curar as feridas, Flamengo busca recomeço no Brasileiro

Rubro-Negro enfrenta o Atlético-GO neste sábado, no Serra Dourada

Por O Dia

Rio - Comissão técnica e diretoria do Flamengo ainda procuram um diagnóstico dos erros que levaram à eliminação precoce na Libertadores. E, se o calendário não espera, a partida contra o Atlético-GO, hoje, às 19h, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro, é a primeira dose do único tratamento capaz de anestesiar a dor da torcida.

Zé Ricardo terá força máxima contra o DragãoStaff Images / Flamengo

“Cabe a nós lamber as feridas. Tivemos reunião importante e proveitosa. O Flamengo passa a ser avaliado de acordo com a reação que terá”, afirmou o diretor de futebol do clube, Rodrigo Caetano.

A busca da cura para cada problema se dá por avaliações cirúrgicas, sem que se tenha que meter o bisturi no trabalho realizado até agora. Um dos males a serem combatidos é a dificuldade do time de pontuar fora de casa, que poderá ser examinado mais uma vez hoje à noite.

Caetano dá a receita para combater tal sintoma: “O Flamengo precisa não só jogar bem fora de casa, mas também se impor. Nós precisamos que essa cicatriz nos lembre sempre que todo jogo é decisivo. Temos obrigação gigantesca de botar o Flamengo na Libertadores, para que nós, e a torcida, sigamos com essa obsessão.”

RHODOLFO ENTRA NA MIRA

Enquanto se recupera do baque, a diretoria procura reforços. O zagueiro Rhodolfo, ex-São Paulo e Grêmio, atualmente no Besiktas, da Turquia, está nos planos. Caetano não nega: É difícil manter certo sigilo sobre sondagem ou negociação. Na verdade tenho que falar dos que aqui estão”.

Ainda com o mesmo grupo em mãos, Zé Ricardo levará o que tem de melhor a campo. Caetano defende o elenco: “O Flamengo fez (contra o San Lorenzo) um segundo tempo aquém das expectativas. Mas isso (falta de vontade) jamais. Eram jogadores chorando, todos nós juntos tentando recuperar os cacos. Que fique clara essa dor. Isso é colocar em xeque o nível de profissionalismo que aqui se tem.”