Flamengo pega o Sport com o objetivo de se aproximar dos líderes do Brasileirão

Éverton Ribeiro, o mais novo reforço da equipe, ainda não pode jogar — só será inscrito depois da abertura da janela de transferências, no dia 20

Por O Dia

Rio - A invencibilidade do Flamengo não significa um bom começo no Campeonato Brasileiro. Se quiser buscar uma reaproximação imediata do pelotão da frente, o time comandado por Zé Ricardo precisa vencer o Sport, nesta quarta-feira, às 21h45, na Ilha do Retiro. Éverton Ribeiro ainda não pode jogar — só será inscrito depois da abertura da janela de transferências, dia 20. Mas, com a experiência de quem foi protagonista no bicampeonato do Cruzeiro (2013/14), o meia conhece o caminho até o título e já pode passar o mapa aos companheiros.

Flamengo enfrenta nesta quarta-feira o Sport pelo Campeonato BrasileiroMárcio Mercante / Agência O Dia

"Cada jogo é importante. Não tem jogo menos importante que o outro. Os três pontos da primeira rodada têm o mesmo valor dos três pontos da última. Tem que estar muito focado sempre, pensando em vencer mesmo fora de casa. Creio que isso o time já tem. É uma equipe muito forte, não são só 11 jogadores. Isso dá força para a equipe chegar no fim brigando pelo título", disse o novo reforço.

CRÍTICAS A CONCA

Na última terça-feira, o diretor-executivo de futebol do Rubro-Negro, Rodrigo Caetano, criticou a postura do meia argentino Darío Conca, que, insatisfeito com o técnico Zé Ricardo por não ter entrado na lista no jogo contra o Botafogo, faltou ao treino do último sábado.

"Ele foi notificado porque não apresentou justificativa. É o procedimento padrão para qualquer jogador ou funcionário que não comparece ao trabalho. O critério adotado com ele serve para qualquer outro", afirmou.

O dirigente, que, em três anos no Flamengo ainda não tinha enfrentado esse tipo de problema, garantiu que isso não vai se repetir. "Desde que estou aqui, é a primeira vez. Espero não haver outra, e certamente não haverá. Até porque, neste Flamengo atual, o protagonista é o coletivo, e não individual".