Precisando vencer, Flamengo põe o futuro em jogo diante do Avaí

Resultado ruim em Santa Catarina pode complicar situação de Zé Ricardo

Por O Dia

Rio - O Flamengo joga hoje para aliviar o clima de pressão que atormenta jogadores e, principalmente, o técnico Zé Ricardo. Somente a vitória, sobre o Avaí, às 16h, na Ressacada, será capaz de devolver alguma tranquilidade ao dia a dia do clube. Qualquer outro tropeço, se não motivar uma troca no comando técnico, fará da estreia na Ilha do Urubu, quarta-feira, no confronto com a Ponte Preta, em vez de um caldeirão, um barril de pólvora.

Flamengo fica no empate por 1 a 1 com o Atlético-MGDivulgação

A tabela sugere que o Avaí, na zona de rebaixamento, seja dos adversários menos complicados que o Rubro-Negro poderia enfrentar. Na Ressacada, porém, a equipe catarinense costuma ser forte. Neste Campeonato Brasileiro, foram duas partidas em casa: empatou em 0 a 0 com o Vitória e ganhou por 1 a 0 do Sport. Em situação incômoda, precisa buscar os pontos como mandante para tentar escalar a tabela.

FERIDA NÃO CICATRIZADA

Uma derrota do Flamengo poderá fazer o time cair ainda mais na tabela, o que deixaria Zé Ricardo em situação praticamente insustentável. Na avaliação da diretoria e da comissão técnica, a eliminação na Libertadores ainda é uma ferida aberta.

Hoje, a principal missão do técnico Zé Ricardo é fazer com que o grupo vire a página de vez, principalmente após os protestos no Ninho do Urubu na sexta-feira. Afinal, se a frustração jogou o ânimo dos jogadores no chão, pela torcida, o sentimento foi transformado em obsessão. Voltar à competição continental em 2018 é obrigação. Mas o que todos querem para aliviar a dor é que o hepta não fique só no cheirinho. 

Pressionado durante toda a semana, o técnico Zé Ricardo deve fazer alterações na escalação de hoje, contra o Avaí. O goleiro Thiago treinou parte da atividade entre os titulares. Ele deve entrar na vaga de Alex Muralha, principal alvo dos protestos da torcida.

Outra modificação é a possível entrada de Vinicius Júnior no lugar de Ederson. O garoto jogou cinco vezes na equipe profissional até aqui, todas no segundo tempo, e começaria como titular. O meia Conca viajou com a delegação pela primeira vez desde que chegou ao clube.