Flamengo quer encerrar o jejum de 18 anos sem conquistar um título internacional

Clube rubro-negro recebe nesta quinta-feira, no Estádio Maracanã, o Junior Barranquilla em busca de vaga na final da Copa Sul-Americana

Por O Dia

Rio - Sem seu principal astro, comandante do ataque, o Flamengo aposta na prata da casa. No Maracanã, o time tenta abrir caminho para chegar à final e quebrar um jejum de títulos internacionais de 18 anos. A descrição que cabe ao jogo contra o Junior Barranquilla, da Colômbia, nesta quinta-feira, às 21h45, pela primeira partida da semifinal da Sul-Americana, servia à mesma fase da Mercosul de 1999. Na época, o Rubro-Negro venceu o Peñarol, do Uruguai, por 3 a 0.

Rueda, atual campeão da Libertadores, sabe a importância de conquistar a Sul-AmericanaDivulgação

Em 25 de novembro de 1999, o Flamengo entrava em campo sem Romário, que teve o contrato rescindido por participar de farra após derrota para o Juventude, pelo Brasileiro. A primeira partida da semifinal também aconteceu no Maracanã, então maior do mundo, com arquibancadas de concreto. Desde o Mundial de 1981, o clube não ganhava um título importante fora do âmbito nacional.

Embora o técnico Carlinhos tenha escalado um ataque experiente, com Rodrigo Mendes e Leandro Machado, Lê e Reinaldo, ambos com 20 anos, entraram no segundo tempo. O primeiro marcou um dos gols da vitória por 3 a 0. O time perdeu, no Uruguai, por 3 a 2 e, depois, sagrou-se campeão em cima do Palmeiras Lê fez o gol do título.

Desta vez, a ausência de Guerrero, suspenso provisoriamente por doping, obriga Reinaldo Rueda a usar jovens valores. Felipe Vizeu, 20 anos, titular contra o Corinthians, se envolveu numa briga com o zagueiro Rhodolfo. Se desta vez ficar no banco, Lucas Paquetá, 20, será o escolhido.

Além deles, Vinicius Júnior também é candidato a herói. Com apenas 16 anos, ele disputa com Mancuello a vaga de Everton o camisa 22 não se recuperou totalmente de um edema na coxa esquerda.

Juan, 38 anos, tinha a idade de Lê e Reinaldo em 1999. Em início de carreira, o zagueiro já havia se firmado como titular do Flamengo. Mas não só ele tem tal vivência. Rueda, atual campeão da Libertadores, sabe a importância de conquistar a Sul-Americana.

"É vital pelas aspirações que se tem e pela meta que significa um torneio internacional. Pelo insucesso na Libertadores e irregularidade no Brasileiro. Está vivo este sonho, são jogos difíceis. Um bom resultado mudaria todo o ambiente e a confiança para terminar o Brasileiro", destacou o técnico.