Por pedro.logato

Rio - O julgamento ainda não tem data marcada para acontecer, mas o Fluminense já planeja como fará a defesa do atacante Michael. O jovem foi pego no exame antidoping com cocaina presente na sua urina. Após o ocorrido, o próprio jogador admitiu ter utilizado a substância.

Michael recebe o apoio do FluminenseUanderson Fernandes / Agência O Dia

O advogado do clube, Mário Bittencourt, tentará descaracterizar a questão esportiva do julgamento e afirmar que Michael passa por um problema social. Em caso de punição, o Tricolor tentará abater do tempo a "pena voluntária" que o atleta está cumprindo. Como está suspenso preventivamente, o atacante não foi escalado pelo Flu nos amistosos que fez nos Estados Unidos.

''Nós vamos mostrar que ele já está cumprindo a pena voluntária, para ir abatendo em caso de uma punição futura. Vai cumprindo o máximo de dias antes para que depois, em caso de punição, tenha uma diminuição. Se for absolvido, já cumpriu o tempo da preventiva. O advogado luta sempre pela absolvição do cliente. Fizemos uma defesa voltada para a questão de recuperação, por ele ter se envolvido com uma situação que não deveria. Mas ele está buscando a recuperação. É uma questão de saúde. Acreditamos em absolvição ou uma pena menor. O Fluminense vem fazendo um bom trabalho em sua recuperação e tirá-lo do esporte, mandá-lo à ociosidade, seria enviá-lo de volta para as drogas'', afirmou o advogado em entrevista à Rádio Brasil.

Michael foi flagrado no exame antidoping, no dia 6 de abril, após a vitória do Fluminense sobre o Resende por 2 a 0. Por conta disso, o atacante acabou desconvocado da seleção brasileira sub-20. No elenco profissional desde 2012, o jovem disputou 12 jogos pelo Fluminense, com cinco gols marcados.

Você pode gostar