Homem de gelo do Flu não esquenta a cabeça

Frio como sempre, Cavalieri admite erros, mas acredita na volta por cima

Por pedro.logato

Rio - Chamado de ‘homem de gelo’ por causa da frieza apresentada nos momentos decisivos do Fluminense na campanha do título brasileiro de 2012, Diego Cavalieri nunca aceitou o rótulo de super-herói. Passível de erros como todo ser humano, o goleiro admitiu a queda de produção. As falhas significativas na partida contra o Olímpia, pela Libertadores, e no clássico com o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, no entanto, não diminuem a confiança do camisa 12 em uma reviravolta imediata. Sempre com serenidade.

Cavalieri não se preocupa com críticas recentesAndré Mourão / Agência O Dia

“Claro que as coisas não estão como em 2012. Tenho consciência da minha responsabilidade, do que tenho de fazer. Estou trabalhando da mesma forma, mas são momentos que acontecem. Nas duas últimas partidas acabaram acontecendo erros. Uma hora vai acontecer, o importante é ter a cabeça no lugar. Elogios são bons, mas nunca me tiraram do chão. Nunca achei que eu fosse ‘o cara’, assim como agora não que sou o pior. Tenho de melhorar, mas minha cabeça está tranquila”, disse Cavalieri.

Campeão da Copa das Confederações, o goleiro tem motivos de sobra recuperar a boa forma. Nos planos de Felipão, Cavalieri tem a chance de realizar o sonho de disputar uma Copa do Mundo. Destaque do Fluminense no ano passado, ele sabe o que precisa fazer para se manter em evidência e espantar os possíveis concorrentes.

“Na Copa das Confederações eu tive a oportunidade de conviver com grandes jogadores, aprendi muito. Mas um ano muda muita coisa. Tenho de focar no clube para poder render o esperado e deixar que as coisas fluam e aconteçam naturalmente”, disse o camisa 12.

Com a postura que lhe rendeu o apelido de ‘homem de gelo’, Cavalieri pretende deixar a meta tricolor tão resistente quanto uma geleira.