Por pedro.logato

Rio - O destempero nos últimos cinco jogos custou pontos importantes ao Fluminense e o aproximou outra vez da zona de rebaixamento do Brasileiro. Foram quatro atletas expulsos no período, sem contar a punição sofrida pelo técnico Vanderlei. O Tricolor vive a tensão dentro e fora de campo — a prova disso é que os muros das Laranjeiras foram pichados na madrugada de ontem. O resultado não vem e a bola já começa a queimar nos pés dos mais jovens. Nem os experientes estão dando conta do recado. Felipe, por exemplo, teve suas ofensas ao árbitro relatadas na súmula e pode pegar um gancho pesado.

Felipe reclama com o árbitro e é expulsoDivulgação

O clima tenso às vésperas do importante duelo contra a Ponte Preta, sábado, atrapalha o time, que terá muitos desfalques num jogo de ‘seis pontos’. A reclamação contra a arbitragem é o maior ponto de insatisfação do treinador do Fluminense, o time que mais recebeu cartões vermelhos na competição: oito.

“A discussão é a arbitragem há anos. Isso não vai melhorar. Será que o corporativismo não vai atrapalhar em algumas coisas? Eu não posso abrir o braço no banco que falam que eu estou dando show. Tenho de ficar igual a um soldado da Inglaterra? Não podemos nem falar nada”, reclamou Vanderlei.

Irritado após a derrota para o Cruzeiro, Felipe não pensou duas vezes e foi para cima do árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra. O entrevero foi documentado na súmula.

“Após o término da partida expulsei de forma direta o sr. Felipe Jorge Loureiro, nº 16 do Fluminense F.C., por proferir a mim as seguintes palavras: “és um filho da p..., vagabundo, safado , sem vergonha, vocês são um bando de m....”

A 15º posição, com 35 pontos, colocou em xeque o trabalho da diretoria, alvo das críticas da torcida estampadas no muro da sede do Fluminense:

“Planejamento zero.” O muro foi pintado, apagando as pichações, na manhã de ontem, mas a ferida continua aberta. O presidente Peter Siemsem alega falta de sorte, mas tranquilidade também ajudaria.

Desfalques contra a Ponte preocupam

Preocupada, a diretoria reforçou a segurança no desembarque dos jogadores, na tarde de ontem, no Aeroporto Santos Dumont. O clima, porém, foi pacífico, embora a situação na tabela do Brasileiro e os muitos desfalques preocupem os jogadores.

“Vamos ter que achar a vitória de qualquer maneira contra a Ponte Preta. Quem o Vanderlei colocar no time vai precisar corresponder. Acho que se vencermos a Ponte e o Vitória, em casa, vamos ficar praticamente livres do rebaixamento”, avaliou Gum.

Você pode gostar