Por pedro.logato

Rio - Uma conversa à beira do gramado das Laranjeiras foi suficiente para Dorival Júnior renovar a esperança de contar com Diego Cavalieri no decisivo confronto com o Atlético-MG, nesta sexta, às 19h30, no Maracanã. Sinônimo de segurança, o goleiro não conseguiu disfarçar a dor. Com sete pontos no dedão da mão esquerda, ele reapareceu de luvas ontem. Na luta pela sobrevivência na Primeira Divisão do Brasileiro, todo sacrifício é válido, como mostrou Cavalieri.

Cavalieri deve enfrentar o GaloDivulgação

Exigido pelo preparador André Carvalho, o camisa 12 não suportou o incômodo no polegar em determinado momento e chegou a abandonar a atividade. Depois de alguns minutos no vestiário, ele voltou para o gramado de luvas e treinou até o fim. Klever, que se recupera de uma conjuntivite, e Felipe Garcia estão de sobreaviso, mas Dorival conta com Cavalieri.

“Minha esperança é total que ele jogue. Não tenho dúvidas de que isso acontecerá. Diego Cavalieri treinou com uma bandagem, uma proteção e conseguiu fazer seu trabalho. Ele sentiu dor, é normal, mas no dia da partida acredito que esteja recuperado”, disse Dorival.

A outra dúvida

Com a semana livre para trabalhar, o comandante tricolor admitiu que tem apenas uma dúvida para enfrentar o Galo. No treino tático de ontem, Valencia e Rafinha foram confirmados como titulares. No ataque, Biro Biro e Samuel disputam um lugar na partida de hoje à noite ao lado de Rafael Sobis.

“A equipe será a mesma (do treino). A dúvida é entre Samuel e Biro Biro”, disse.
Preocupado com o desgaste emocional da equipe depois da péssima apresentação na derrota para o Santos, Dorival Júnior explicou sua opção de não fazer coletivos nesta semana.
“Depois de uma derrota é natural que os jogadores estejam inseguros. É melhor evitar que quem esteja entre os reservas aproveite esse momento da equipe titular. O objetivo foi recuperar o emocional”, revelou.

Ajuda divina para ficar na Série A

?À espera de um alívio para o sofrimento, cerca de 100 torcedores do Fluminense participaram de missa ontem na Igreja Nossa Senhora do Parto, no Centro, e pediram a intervenção divina na batalha contra o rebaixamento.

O gesto de 2009 foi repetido. Naquele ano, o Tricolor também lutava pela permanência na elite e uma missa foi realizada no Cristo. Novamente, o padre Omar foi responsável por celebrar a cerimônia. A missa contou com a presença de dirigentes e conselheiros do Fluminense.

Wellington Silva é cortado

?Wellington Silva vive uma situação delicada no Fluminense. Opção para a partida contra o Atlético-MG, o lateral-direito treinou em separado ontem e não e ficou fora da lista de relacionados do técnico Dorival Júnior.

Fotografado ao lado do rubro-negro Vagner Love na noite da decisão da Copa do Brasil, o lateral-direito não convenceu a diretoria de que não assistiu à partida do Flamengo.

“É uma situação muito delicada e difícil de analisar superficialmente. É preciso ir mais a fundo. O jogador ficou muito abalado e merece um cuidado especial. A definição tomada pelo corpo diretivo talvez tenha sido a ideal, a correta”, disse Dorival Júnior.

Com contrato até o fim de 2015, Wellington Silva não deve mais ser relacionado este ano e seu futuro nas Laranjeiras passa a ser uma incógnita.


Você pode gostar