Próximo capítulo: Fluminense encara velho desafio em 2014

Desde 2005, Tricolor só briga contra rebaixamento ou pelo título do Brasileiro

Por O Dia

Rio - A temporada do Fluminense se inicia com um dilema: a briga neste ano será pelo título do Brasileiro ou contra o rebaixamento? Desde 2005, o Tricolor só disputa a competição ou na parte de cima ou na parte de baixo. Após o susto de 2013, os torcedores esperam que na atual temporada a equipe lute pelo pentacampeonato do Brasileiro.

Desde 2004, quando o Flu tinha jogadores como Roger, Ramón, Edmundo e Romário, mas decepcionou e ficando apenas na nova posição, o clube carioca sempre briga ou pelo título nacional ou contra a queda para a Segunda Divisão.

Considerado o "Time de Guerreiros", o Fluminense tem transformado cada ano numa verdadeira batalha para jogadores e torcedores. Nas temporadas de 2005, 2007, 2010, 2011 e 2012, a luta foi pelo título, que acabou chegando em duas ocasiões para as Laranjeiras. Porém, em 2006, 2008, 2009 e 2013, o fantasma da Série B chegou muito perto do Tricolor. Em 2009 e em 2013, a realidade da queda parecia irreversível, mas por diferentes circunstâncias, o "Gravatinha", personagem que ajudava o Flu, criado por Nelson Rodrigues, salvou o clube carioca de disputar a Segunda Divisão.

Renato Gaúcho terá a missão de comandar Flu em 2014Divulgação

>>>Confira as imagens marcantes das temporadas do Fluminense

Veja as campanhas do Tricolor no Brasileiros de 2005 a 2013:

2005

Campeão Carioca e finalista da Copa do Brasil, o Fluminense entrou forte na disputa do Brasileirão. Internacional e Corinthians eram os seus principais adversários. Porém, faltando apenas seis rodadas para o fim da competição, a equipe comandada por Abel Braga que tinha jogadores da qualidade de Petkovic, Arouca, Gabriel, Leandro e Tuta acabou sofrendo um apagão e terminou a competição fora da Libertadores, sendo ultrapassado por Goiás e Palmeiras.

2006

Com um elenco recheado de medalhões como Petkovic, Pedrinho, Rogério, Cláudio Pitbull e Tuta, o Tricolor até começou bem o Brasileiro, porém, após a parada para a Copa do Mundo, a equipe começou a descer ladeira abaixo na competição. O Fluminense nunca chegou a entrar na zona da degola, mas a agonia do risco de queda durou até a última rodada. Com a vitória sobre o Santa Cruz, com gol de André Moritz, o Tricolor se garantiu na elite do futebol brasileiro, rebaixando a Ponte Preta para a Segundona.

2007

Embalado pela conquista da Copa do Brasil, o Fluminense teve uma temporada bastante forte no Brasileirão. Thiago Neves, Cícero e Alex Dias se destacaram na campanha que levou o Fluminense ao G-4. Apesar do título inconstetável do São Paulo, o Fluminense não foi derrotado em nenhum dos confrontos contra a equipe paulista. No primeiro jogo no Morumbu, 1 a 0 para o Flu: gol de Somália. No confronto do Maracanã, empate por 1 a 1.

2008

A ressaca da perda da Libertadores ainda dói nos tricolores até o dia de hoje, mas em 2008, a equipe carioca quase acabou sendo rebaixada no Brasileirão por conta da dor da derrota para a LDU. Após um início com a equipe reserva, que deixou o Flu na lanterna da competição por várias rodadas, a equipe teve que correr muito para não ser rebaixada no Brasileiro. O alívio só veio na penúltima rodada, quando o Fluminense empatou com o São Paulo, no Morumbi.

2009

Em 2009, o Fluminense teve 98% de chances de ser rebaixado para a Série B, mas acabou não sendo rebaixado por conta de uma arrancada incrível com seis vitórias e um empate nas últimas sete rodadas do Brasileiro. Durante a competição, a equipe sofreu bastante com a ausência do seu principal jogador, Fred, que ficou lesionado durante muito tempo. Na reta final, o artilheiro voltou e junto de Conca e dos jovens de Xerém, ajudou o Tricolor na arrancada que confirmou a permanência do Flu na última rodada, com um empate contra o Coritiba, que acabou rebaixando o Coxa. Após a salvação, o Fluminense passou a ser conhecido como "Time de Guerreiros".

2010

Embalado pela campanha de 2009, o Fluminense começou 2010 muito forte. Apesar dos insucessos no Carioca e na Copa do Brasil, com a chegada de Muricy Ramalho, o clube embalou no Brasileiro. Mesmo com Fred novamente lesionado, Conca assumiu a responsabilidade e levou o Tricolor ao título. Na última rodada, o Fluminense se tornou tricampeão brasileiro ao derrotar o Guarani, no Engenhão, com gol de Emerson Sheik.

2011

A temporada não começou muito positiva para o Fluminense. As saídas de Muricy e de Emerson tumulturam bastante o clube. Fred se envolveu em uma polêmica com torcedores e o clima parecia levar o clube a outra temporada negativa. Depois, o ídolo Dario Conca deixou o clube para acertar com o futebol chinês. Porém, Abel Braga conseguiu acertar o time. Com a chegada de Sobis e Lanzini, somados a recuperação de Fred e Deco, o clube carioca arrancou no Brasileiro e brigou pelo título até a penúltima rodada, quando foi derrotado pelo Vasco, que acabou sendo vice-campeão. O Fluminense terminou em terceiro lugar, garantindo mais uma vaga na Libertadores.

2012

A equipe de Abel tomou corpo em 2012. Após o título estadual, veio a eliminação nas quartas de final da Libertadores para o Boca Juniors. Porém, o Fluminense manteve o elenco e teve forças para vencer o Brasileirão. No começo, uma disputa complicada com o Atlético-MG, mas depois, o Tricolor disparou e levantou a taça com três rodadas de antecedência. Mais uma vez, Fred foi o grande destaque da equipe. Ao lado dele, Cavalieri, Wellington Nem, Jean e Thiago Neves tiveram uma grande participação na conquista.

2013

A última temporada foi uma das mais impressionantes da história do Fluminense. Com o elenco mantivo e com a moral de ter sido campeão brasileiro, nada deu certo para o clube desde o início da temporada. Primeiramente as eliminações precoces na Libertadores e no Carioca. Depois, Thiago Neves e Wellington Nem deixaram a equipe. Deco se aposentou e Fred sofreu uma grave lesão, que o deixou de fora de praticamente todo o Brasileiro. Restou a Cavalieri, Jean e Sobis a missão de conduzir o Tricolor. Com uma equipe irregular, que assistiu a duas trocas de treinador, o clube carioca acabou rebaixado para a Série B. Porém, por conta de um erro da Portuguesa, que escalou um jogador suspenso na última rodada do Brasileiro, o Tricolor acabou escapando da queda, mas não da vergonha de uma campanha muito abaixo do esperado pela sua tradição e pela quantidade de seus investimentos.