Torcedores do Fluminense são hostilizados e alvos de bomba

Daniel Burman e Samanta Moreno sofrem com ira perto da sede do Tricolor

Por O Dia

Rio - Torcedores do Fluminense, Daniel Burman e Samanta Moreno foram alvos de um ataque de bomba - semelhante a um sinalizador - na manhã desta quinta-feira, na Rua Paulo VI, no Flamengo. Os amigos seguiam para as Laranjeiras, onde visitaram a sede do clube.

Ao estacionar o carro, eles já haviam sido hostilizados com gritos de "tapetão", fruto do polêmico caso que rebaixou a Lusa e manteve o Flu na Série A. Samanta, que vive em Canoas (RS), vestia a camisa tricolor. Mas o susto aconteceu na volta. No momento da explosão, eles ficaram com problema de audição.

“Antes, a agressão era verbal. Foi um episódio lamentável”, disse Burman.

Caso Lusa vai à Justiça comum

O Brasileiro de 2013 pode ter mais uma rodada fora de campo. O advogado Delmiro Aparecido Gouveia entrou com uma ação no Juizado Especial Cível em Mogi das Cruzes, São Paulo, contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Ele tenta anular a pena que a Portuguesa sofreu (perda de quatro pontos e multa de R$ 1 mil por escalar irregularmente o meia Héverton) e culminou no rebaixamento do clube para a Série B.

"Qualquer torcedor, nem precisa ser da Lusa, entendendo que a decisão o prejudicou, pode entrar na Justiça em sua comarca e aí devem ser juntadas todas as ações para uma única decisão", disse o advogado à Rádio Globo.