Em crise e sem Conca, Flu tenta terminar primeira fase do Carioca em segundo

Tricolor encara o Volta Redonda neste sábado precisando de vitória

Por O Dia

Rio - Cobrança, reunião e protesto. Esse foi o clima nas Laranjeiras na véspera do confronto com o Volta Redonda, domingo, às 16h, no Moacyrzão. A derrota de 3 a 1 para o Horizonte, pela Copa do Brasil, mudou a rotina dos descontraídos treinos de sábado do Fluminense. O longo bate papo de quase uma hora entre comissão técnica e jogadores foi reflexo das explicações cobradas pelo presidente Peter Siemsen a Renato Gaúcho após a derrota que colocou em risco o futuro da equipe na Copa do Brasil.

Fred vem recebendo muitas críticas no FluminenseDivulgação

Fred foi um dos principais alvos do protesto comandado por um pequeno grupo de torcedores. Longe do melhor de seu futebol, o camisa 9 foi ofendido e alertado que o Fluminense deveria ser sua Seleção. Bruno e Jean também foram cobrados.

Ricardo Tenório, vice de futebol do Fluminense, não entrou em rota de colisão com os insatisfeitos. Confiante na recuperação da equipe na partida de volta contra o Horizonte, no dia 10 de abril, o dirigente crê que o longo papo no vestiário surtirá o efeito esperado.

“Não acho injusta. A insatisfação dele é nossa também. Estamos atentos, a gente sabe o que está acontecendo. A derrota foi de uma forma muito dura. Mas a lição foi dada. Aprendemos”, disse Ricardo Tenório.

Carlinhos, que voltou a ser relacionado e deve ser titular na rodada que definirá o segundo colocado na Taça Guanabara, teve o nome gritado pelos torcedores. Para afastar a crise, uma boa apresentação contra o Volta Redonda é considerada uma obrigação. No entanto, Renato Gaúcho não contará com Diguinho e Conca, com dores musculares, Willian e Wagner devem ganhar nova chance entre os titulares.