Em Chapecó, Fluminense quer espantar a crise

Tricolor encara a Chapecoense e precisa voltar a vencer para se manter no G-4

Por O Dia

Santa Catarina - A confortável posição do Fluminense no G-4 do Brasileiro está ameaçada. Sem vencer há duas rodadas, o time encara a Chapecoense, nesta quarta-feira, às 22h, na Arena Condá. Com o São Paulo na cola, em quinto lugar e com os mesmos 26 pontos, Cristóvão Borges tem plena consciência de que um novo tropeço pode colocar todo o planejamento em risco. Sob pressão, o técnico admite recorrer à experiência dos medalhões para superar a crise.

Fred promete não fugir à luta. Em baixa, o capitão chamou para si a responsabilidade após a derrota no clássico contra o Botafogo. A queda precoce na Copa do Brasil aumentou a cobrança. Mas o camisa 9 não está sozinho. Diego Cavalieri, Cícero, Conca e Rafael Sobis dividirão o peso de reconduzir a equipe ao topo da tabela.

Fluminense, de Cristóvão Borges, precisa vencer em Santa CatarinaDivulgação

“A gente sabe que nos últimos jogos a equipe foi bem abaixo. Então, a gente espera fazer um grande jogo em Chapecó. É muito difícil enfrentar a Chapecoense fora de casa. Temos que analisar, estudar a equipe deles para fazer um bom jogo”, disse Bruno.

Sem vencer há três partidas — uma pela Copa do Brasil e duas pelo Brasileiro —, o Flu não contou com Henrique no treino de ontem. Com dores no joelho direito, ele foi poupado da atividade e Cristóvão completou o time no rachão. Diguinho é dúvida. Ele se recupera de uma pancada no tornozelo direito e será reavaliado hoje pelo departamento médico.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Para aliviar o pesado ambiente, o torcedor catarinense deu mais um voto de confiança ao Tricolor. Mais assediado, Fred foi solicito e, ao fim do treino, distribuiu autógrafos, posou para fotos e teve o prestígio renovado.

Clube ‘perde’ dois reforços e segue de olho no mercado

Na mira do Fluminense, João Felipe e André Bahia não reforçarão a equipe na sequência da temporada. Depois de ver a dupla negociação melar, a diretoria continua de olho no mercado. Com a lesão de Gum, que só voltará a jogar em 2015, o técnico Cristóvão Borges conta apenas com Henrique, Elivélton, Marlon e o contestado Fabrício.

Com o aval do São Paulo, o Fluminense iniciou a conversa com João Felipe. O Avaí, no entanto, não abriu mão do zagueiro, emprestado até o fim do ano. Com relação a André Bahia, a diretoria aguardava a rescisão amigável com o Botafogo para avançar na negociação. Sem o consentimento do rival, o Flu desistiu da negociação.

Da Série B do Campeonato Brasileiro poderão chegar os esperados reforços. Além de mais um zagueiro, a diretoria tricolor negocia com um lateral-direito e um esquerdo para a reserva de Bruno e Carlinhos.