Por jessica.rocha

Rio - A má fase do Fluminense fez com que o clube providenciasse efeitos imediatos. Depois do violento protestos de um grupo de torcedores contra os jogadores, no Aeroporto Santos Dumont, na volta do time após a derrota do time para a Chapecoense, a diretoria decidiu mudar o local de treinamento desta sexta-feira e optou por realizar as atividades na Escola de Educação Física do Exército, na Urca. O presidente Peter Siemsen esteve presente e observou o elenco durante as atividades.

Fluminense faz treino na UrcaMárcio Mercante / Agência O Dia

O dirigente estava acompanhado de um segurança e preferiu ficar reservado em uma sala particular das instalações. Apenas reservas e jogadores que não participaram integralmente da derrota para a Chapecoense, como Sóbis e Walter, foram a campo e fizeram treinamento físico, técnico e de toques rápidos em campo reduzido. Os dois atletas estavam na foto que Fred publicou, na qual o capitão Tricolor criticou a atitude do grupo de torcedores que tentaram agredir os jogadores e ameaçou liderar uma greve do elenco na partida contra o Sport, no Maracanã, no domingo. A chance do motim já foi descartada pela direção do clube das Laranjeiras.

Já os titulares, entre eles o próprio Fred, ficaram na academia. O camisa 9, junto com o volante Jean, observou parte da atividade e deixou o local antes do fim. Wagner, ainda com varizes intestinais, segue fora do time.

Após reclamar via sociais, Fred apareceu e fez treino na academiaMárcio Mercante / Agência O Dia

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

O Fluminense é o 5° colocado do Campeonato Brasileiro, com 26 pontos, três a menos que o 4º colocado São Paulo, primeiro time do G-4, que tem 29. No domingo, o Tricolor enfrenta o Sport, às 16h, no Maracanã.

Você pode gostar