Fluminense e Cristóvão Borges: unidos por uma nova história

Clube e técnico estreiam na Sul-Americana de olho em um final feliz, após derrotas no passado

Por O Dia

Rio - Quando o assunto é Copa Sul-Americana, Fluminense e Cristóvão Borges têm histórias parecidas. Clube e treinador já chegaram longe na competição continental, mas caíram bem próximos de levantar a taça. Desta vez, porém, as partes estão unidas, e esperam, hoje, às 18h, contra o Goiás, no Maracanã, dar o primeiro passo para trilhar o caminho que leva à conquista do segundo título mais importante da América Sul.

Com três remanescentes do time que foi derrotado pela LDU, em 2009 — Diguinho, Conca e Fred —, o Fluminense quer reescrever a sua história na competição e, de quebra, garantir uma vaga na Copa Libertadores de 2015. Cristóvão Borges, por sua vez, também quer levantar a taça. Depois de chegar às semifinais comandando o Vasco, em 2011 — na sua estreia como treinador — ele quer finalmente conquistar seu primeiro título. Enfatizando que a Sul-Americana ganha prestígio a cada edição, Cristóvão acredita que conquistá-la daria um bom peso ao seu currículo.

Fluminense enfrenta o Goiás no MaracanãDivulgação

“Esta competição só cresceu nos últimos anos. Em 2014, vários clubes tradicionais do continente estão jogando e será um prestigio muito grande atuar bem e ganhar. Estou concentrado no que tenho que fazer. Sei que se eu fizer o meu trabalho bem feito, isso me fará ganhar. Não tenho ansiedade, pois minha hora vai chegar”, frisou o técnico.

Ao falar do duelo com o Goiás, Cristóvão garantiu que não vai poupar nenhum jogador. Ele, porém, não descartou possíveis mudanças na equipe, em relação a goleada sobre o Sport (4 a 0), domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

“O time ainda não está definido, mas não vou precisar poupar ninguém. Está todo mundo bem. Pode ser que tenhamos algumas mudanças em relação à última partida. Isso sim, pode acontecer”, disse.

Técnico pede caras novas à diretoria

Não é segredo que o Fluminense tenta contratar reforços. Ciente de que precisa de novas opções no elenco, o técnico Cristóvão Borges comentou a importância de se contratar.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

“Isso é importantíssimo. Justamente para termos fôlego e sermos competitivos. É necessário ter um elenco grande. Temos um grupo de qualidade, mas ele precisa ser mais numeroso. Tem muitos jogos e viagens. O nível é alto, mas precisamos aumentá-lo um pouco”, disse Cristóvão.

Técnico lamenta nova ausência de Cavalieri

Fora dos treinos há cinco dias, por causa de uma gastroenterite, o goleiro Diego Cavalieri vai desfalcar novamente o Fluminense. O técnico Cristóvão Borges lamentou a ausência de seu camisa 12, mas exaltou a participação do seu reserva, Kléver, contra o Sport.

“Conversei com Diego e ele está melhor, mas ainda não vai poder jogar. Quando se tem jogadores experientes e acostumados a atuar, é normal que haja preocupação. Mas o problema é quando não se tem substituição. O Kléver entrou e foi bem contra o Sport. Então, como técnico, fico tranquilo”, afirmou Cristóvão.

Assim como Cavalieri, o zagueiro Henrique não participou da atividade de ontem, nas Laranjeiras. Ele, porém, fez trabalhos específicos na academia e estará à disposição no duelo de hoje contra o Goiás.