Cavalieri com futuro incerto no Flu

Goleiro tem contrato até dezembro, pede alto e depende de aval da patrocinadora

Por O Dia

Rio - Perto de completar quatro anos de Fluminense, Diego Cavalieri não tem certeza se continuará a defender as cores do clube em 2015. Com contrato até o dia 31 de dezembro, o camisa 12 colocou os valores na mesa nos encontros que teve com a cúpula tricolor e com o presidente da patrocinadora, Celso Barros. A decisão, porém, só será tomada ao fim do Campeonato Brasileiro.

Cavalieri aguarda definição entre Flu e patrocinadoraAndré Mourão

A pedida, na casa dos R$ 500 mil de salário, assustou a diretoria. Dependente da parceria com a patrocinadora na aquisição e no pagamento da maior parte do vencimento de seus astros, a diretoria vê o atual modelo sob risco. E o planejamento para 2015 passa pela reunião anual de novembro da empresa, que também definirá renovações ou não de patrocínios.

“Não tem novidade alguma. Já tive algumas conversas, já foi expressado. O acordo entre patrocinador e clube é o primeiro passo. Eles têm de acertar a vida deles. Depois, é comigo. A renovação só acontecerá depois dessa definição. Tem de esperar. No dia 7 (de dezembro) é a última rodada do Brasileiro. Meu contrato é até dia 31. Nesse meio tempo, a gente senta e decide se continua ou não. Até lá se espera”, disse Diego Cavalieri.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Valorizado, o goleiro não esconde o desejo de continuar no Fluminense e garante que não iniciou contato com nenhum outro clube. Sem empresário, Cavalieri é quem negocia diretamente seus compromissos com um advogado particular.

“Minha vontade é de permanecer. Sou grato, estou feliz e bem adaptado ao clube, à cidade. É meu desejo. Trabalho para isso”, disse o goleiro.

No confronto contra o Bahia, sábado, no Mané Garrincha, Diego Cavalieri terá mais uma chance de provar que vale o investimento. Para o compromisso em Brasília, Valencia e Diguinho ainda não estarão à disposição. Nesta terça-feira, depois de breve movimentação na academia, os jogadores fizeram um trabalho técnico com bola, em campo reduzido, nas Laranjeiras.