Cristóvão Borges volta a viver pressão no Fluminense

Em 8º lugar, Tricolor precisa vencer o Inter para não ver o G-4 ficar mais longe

Por O Dia

Rio - A torcida do Fluminense perdeu a paciência. A queda de produção e de posições na tabela — oitavo colocado, com 42 pontos —, recolocou a mira da desconfiança sobre Cristóvão Borges. Vaiado no empate com o Bahia, em Brasília, o técnico voltou a ser criticado no 0 a 0 com o Atlético-MG, no Maracanã. O projeto Libertadores 2015 está sob risco, mas nenhum tricolor admite jogar a toalha.

Cristóvão Borges vive momento complicadoDivulgação

“Nosso torcedor é acostumado a vitórias e títulos. Ele tem o direito de vaiar e aplaudir. Cabe a nós estarmos focados em voltar a vencer. Aí, ele voltará a gritar o nome do Cristóvão. Mas a gente corre por ele. Desde que chegou, o time melhorou e apresentou um bom futebol”, destacou Wagner.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Fluminense

Um possível tropeço contra o Internacional, no Beira-Rio, aumentaria a cobrança sobre Cristóvão, que lamenta a sequência de sete empates nas últimas dez rodadas. A diretoria mantém o discurso de respaldo ao trabalho do técnico. Não bastasse a pressão pelos resultados, ele ainda administra a insatisfação do xodó Walter com a reserva.

Visivelmente acima do peso, ele perdeu espaço e não joga há um mês. No empate com o Atlético-MG, Walter não participou do aquecimento. Sentado no banco de reservas, chegou a tirar as meias e as chuteiras.

“Como técnico, minha função é colocá-lo para treinar para que fique em condições de jogar. Comigo, entra quem está melhor”, disse Cristóvão.